Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

05.09.2007 | 21:28

IBOV – Ponto de retorno

Publicado na(s) categoria(s) Ibovespa, por Dalton Vieira

Dados dos EUA incentivam realização de lucros na Bovespa
SÃO PAULO (Reuters) – A Bolsa de Valores de São Paulo fechou em baixa nesta quarta-feira, depois que dados econômicos nos Estados Unidos contribuíram para o fraco desempenho do mercado internacional e incentivaram os investidores a embolsar lucros.

O candle de hoje do gráfico diário (figura ao lado) representa um ponto de retorno do movimento de alta. Para a continuidade do movimento de baixa há uma zona de suporte que vai desde a média móvel de 65 períodos (53.992) até a mínima do dia 31/08 (52.873). Nesta região pode ocorrer um sinal de alta alinhado com o fechamento do gráfico semanal, referente ao período 27 a 31/08.

O fato do ponto de retorno ter ocorrido na resistência responsável pela manutenção da tendência de baixa no gráfico diário, aumenta a probabilidade do IBOV testar a zona de suporte supracitada.

Obrigado pela leitura. Até breve!

05.09.2007 | 11:15

Investir em ações no Brasil tem sido mais rentável do que nos Estados Unidos

Publicado na(s) categoria(s) Mercado, por Dalton Vieira

Ontem, dia 04/09, ouvi um comentário interessante do Mauro Halfeld no site da rádio CBN. Eu particularmente acredito que algo semelhante ao relatado ocorrerá daqui a alguns anos no Brasil, pois o interesse do brasileiro no mercado de ações cresceu muito nos últimos anos. Na minha opinião, veremos pessoas aposentadas através dos ganhos proporcionados pelos dividendos das ações, ao invés de depender do INSS (afe!). E você acredita?

Para ouvir o comentário clique aqui.

Tenha um ótimo dia!

05.09.2007 | 1:23

IBOV – Na resistência da tendência de baixa

Publicado na(s) categoria(s) Ibovespa, por Dalton Vieira

O Ibovespa nesta terça-feira, dia 04/09, parou praticamente na resistência de 55.615 pontos. O rompimento desta resistência resultará na quebra da tendência de baixa do gráfico diário (figura ao lado). O OBV (on balance volume) está acumulando, com topos e fundos ascendentes, inclusive já fez nova máxima. Em princípio é um sinal de que esta resistência será rompida.

Hoje será um dia importante para justamente avaliarmos quem exercerá uma maior pressão nesta importante resistência do diário, touros (compradores) ou ursos (vendedores). Um fechamento principalmente acima de 55.662, resistência do semanal destacada na análise “Fechamento do mês de agosto“, seria um bom sinal de confirmação da recuperação do IBOV.

Até breve!

04.09.2007 | 20:56

VALE5 – Continuidade da alta após desdobramento

Publicado na(s) categoria(s) Vale, por Dalton Vieira

Ontem, dia 03/09, ocorreu um desdobramento das ações da VALE5. Cada ação foi dividida em duas e o seu valor caiu pela metade. Geralmente o desdobramento costuma aumentar o interesse do investidor pela ação, pois fica mais fácil comprar um lote da VALE5. Por que fica mais fácil? Porque fica mais barato. Abaixo explico melhor.

Na compra realizada no dia 30/09 a $78,70 através da estratégia de compra divulgada na análise “Contra-ataque do touros“, um lote (100 ações) custava R$ 7.870,00. Se neste dia já tivesse ocorrido o desdobramento, o custo (desembolso) seria a metade do valor (R$ 3.935,00). Desta forma, é mais fácil atingir um maior número de investidores quando a compra de um lote torna-se mais “em conta”, o que eleva o volume de negociações. Em alguns casos este evento corporativo proporciona uma alta no preço da ação, principalmente quando o cenário já era propício para isto, como é o caso da VALE5.

Hoje, um dia após o desdobramento, tivemos um bom dia de alta (+2,04%). Observe no gráfico diário (figura ao lado) que o candle rompe a máxima histórica ($42,10), mas não consegue fechar acima, o que seria melhor. Entretanto, o lado positivo deste candle é que fez o maior preço de fechamento ($42,04) da VALE5. O fechamento histórico no gráfico diário era em $41,75 (23/07).

Neste pregão o preço confirmou o sinal do OBV (on balance volume), destacado na análise “análise da semana 27 a 31/08“, o qual já tinha feito nova máxima. Após a compra em $39,35 ($78,70 / 2), preço de abertura do dia 30/09, temos uma alta de +6,83% até o momento. O stop loss ainda continua abaixo de $37,83 (mínima do dia 28/08 e da semana passada) devido ao bom cenário de alta, principalmente do gráfico semanal.

Em um cenário menos favorável, uma possibilidade para elevar o stop loss após o candle de alta de hoje, seria abaixo da mínima deste candle ($40,70). Portanto, se houvesse um fechamento abaixo deste valor a operação de compra seria encerrada. Esta é uma possibilidade para quem gosta de stops mais curtos. Este stop já seria chamado de stop de proteção, que visa proteger o atual lucro e não sair mais perdendo da operação.

Vamos aguardar o comportamento dos touros (compradores) e ursos (vendedores) nesta região de resistência histórica da VALE5.

Obrigado e até breve!

03.09.2007 | 20:45

Princípios Essenciais

Publicado na(s) categoria(s) Análise Técnica, Aprendizado, por Dalton Vieira

Dando continuidade a série de artigos voltados para o Aprendizado da Análise Técnica, neste artigo descreverei os princípios fundamentais para fazer a análise gráfica de qualquer ação.

“A vontade de se preparar tem de ser maior que a vontade de vencer.”
BOB KNIGHT
fonte: Transformando suor em ouro – Bernadinho

Movimentos

O preço de uma ação movimenta-se somente em 03 direções. São elas:

1. Para cima
2. Para baixo
3. Lateralmente

Os preços movimentam-se para cima ou para baixo por causa de dois sentimentos impregnados no mercado financeiro: Ganância e Medo. O preço sobe devido à ganância dos compradores e medo dos vendedores. O preço cai por causa da ganância dos vendedores e medo dos compradores.

Topos e Fundos

A partir do momento que o sentimento de ganância dos compradores dá lugar ao medo e o medo dos vendedores dá lugar a ganância, então há a formação de um Topo no gráfico. Por outro lado, se o sentimento de ganância dos vendedores dá lugar ao medo e o medo dos compradores dá lugar a ganância, então há a formação de um Fundo no gráfico. Esta mudança de sentimentos dos compradores e vendedores é destacada no gráfico através do Ponto de retorno, conforme mostra a figura abaixo.


O topo é antecedido por duas ou mais barras ou candles ascendentes e é marcado após o surgimento de um ponto de retorno. O fundo é antecedido por duas ou mais barras ou candles descendentes e também é marcado após o surgimento de um ponto de retorno. O ponto de retorno é a quebra da seqüência do movimento de alta ou baixa.

A seguir exemplo da marcação dos topos e fundos no gráfico semanal do Ibovespa.


A identificação dos topos e fundos na análise técnica é essencial, pois são através deles que são definidos outros princípios importantes, como os suportes, as resistências e a tendência de uma determinada ação.

Tendência

Uma tendência de alta é definida por topos e fundos ascendentes, enquanto que uma tendência de baixa é definida por topos e fundos descendentes. Quanto maior o tempo gráfico mais importante é o significado da tendência dos preços. Portanto, a tendência do gráfico semanal é mais importante do que a do diário.

A seguir exemplo de um gráfico em tendência de alta. Perceba que os topos e fundos são mais altos que os anteriores, logo ascendentes.


A seguir exemplo de um gráfico em tendência de baixa. Perceba que os topos e fundos são mais baixos que os anteriores, logo descendentes.


Os preços também podem ficar em uma faixa de negociação chamada pelos analistas técnicos de congestão, significando uma indecisão por parte dos investidores. A congestão ocorre quando o topo atual não supera o topo anterior e o fundo atual não supera o fundo anterior. Na maior parte do tempo os preços ficam em faixas de negociação. A seguir o gráfico do Ibovespa em faixa de negociação (congestão).

Perceba que após o movimento de baixa entre o primeiro topo e fundo, destacados pela inicial maiúscula, o gráfico semanal do Ibovespa fica congestionado. Por que congestionado? Porque não há um movimento de alta superando a máxima do primeiro Topo, nem um movimento de baixa superando a mínima do primeiro Fundo. Quanto maior for o tempo que os preços permanecerem em faixa de negociação, mais importante será o rompimento da resistência ou suporte desta congestão.

Nas tendências de alta, cada subida do mercado atinge um ponto mais alto do que a anterior e cada declínio pára em um ponto mais alto do que o precedente. Nas tendências de baixa, cada declínio cai para um ponto mais baixo do que o anterior e cada subida cessa em nível mais baixo do que o precedente. Nas faixas de negociação, a maioria das subidas pára mais ou menos na mesma altura e os declínios cessam mais ou menos no mesmo ponto.

Quando há a quebra ou reversão de uma tendência de alta?

Quando há o rompimento da mínima do fundo que antecede o último movimento de alta dos topos e fundos ascendentes. A figura abaixo ilustra a quebra de um tendência de alta.


Quando há a quebra de uma tendência de baixa?

Quando há o rompimento da máxima do topo que antecede o último movimento de baixa dos topos e fundos descendentes. A figura abaixo ilustra a quebra de uma tendência de baixa. Observe que neste exemplo antes de ocorrer a quebra da tendência de baixa há um topo e fundo secundários. Eles são secundários porque estão entre a máxima e mínima do último movimento de baixa, ou seja, não superam o topo e fundo anteriores.


Quando ocorre a confirmação de uma nova tendência de alta?

Quando após a quebra da tendência de baixa há um fundo superior ao menor fundo e na seqüência ocorre uma máxima superior ao topo responsável pela quebra da tendência de baixa. Esta confirmação na análise técnica é chamada de pivô de alta. Veja exemplo na figura abaixo:


Quando ocorre a confirmação de uma nova tendência de baixa?

Quando após a quebra da tendência de alta há um topo inferior ao maior topo e na seqüência ocorre uma mínima inferior ao fundo responsável pela quebra da tendência de alta. Esta confirmação na análise técnica é chamada de pivô de baixa. Veja exemplo na figura abaixo:


Suportes e Resistências

Suporte é um nível de preço onde ocorre uma pressão compradora suficiente para interromper ou reverter um movimento de baixa. Resistência é um nível de preço onde ocorre uma pressão vendedora suficiente para interromper ou reverter um movimento de alta.

As resistências e os suportes normalmente estão localizados nos topos e fundos do gráfico, respectivamente. No topo há resistências no maior preço de fechamento e na máxima (extremo). No fundo há suportes no menor preço de fechamento e na mínima (extremo). O gráfico abaixo mostra a identificação dos pontos de resistência e suporte, como também da zona de resistência e suporte.

É melhor traçar linhas de suporte e resistência entre as bordas de áreas de congestionamento em vez de entre preços extremos. As bordas mostram onde massas de investidores mudaram de opinião, ao passo que os pontos extremos refletem apenas o pânico entre os investidores mais fracos.
ALEXANDER ELDER

Zonas de Resistência e Suporte

As zonas de resistência podem ser definidas pela região entre o maior preço de fechamento de um topo até a máxima (extremo) do mesmo, conforme destacado na figura acima. Além disso, podem também ser definidas por uma seqüência de dois os mais topos onde as bordas ou os extremos estão próximos, conforme mostra o gráfico abaixo.


As zonas de suporte podem ser definidas pela região entre o menor preço de fechamento de um fundo até a mínima (extremo) do mesmo. Além disso, podem também ser definidas por uma seqüência de dois os mais fundos onde as bordas ou os extremos estão próximos, conforme mostra o gráfico abaixo.


Mudança de Polaridade

É a conversão de uma antiga resistência em um suporte ou de um antigo suporte em uma resistência. A figura abaixo mostra a mudança de polaridade entre suporte e resistência.


Por que ocorre esta mudança de polaridade?

Imagine que quando os preços se aproximaram do suporte (ponto A) destacado na figura ao lado, você efetuou um compra. No entanto os preços continuam caindo e seu prejuízo aumentando. Você provavelmente pensará: “tomara que aconteça um retorno dos preços para que eu possa vender esta ação e encerrar esta operação com o menor prejuízo possível”. Portanto, quando os preços se aproximarem do ponto B provavelmente ocorrerá uma pressão vendedora proporcionada por outros investidores que estão em uma situação semelhante a sua, formando-se então uma resistência para subida dos preços.

Além disso, há aqueles investidores que gostariam de vender no rompimento do suporte (ponto A), mas perderam o “bonde” e ficaram só ass
istindo a queda do preço. Estes investidores provavelmente já estão pensando: “Se eu tiver uma oportunidade para entrar novamente após um retorno dos preços, com certeza eu venderei”. São estes investidores com objetivos diferentes, um querendo sair e outro querendo entrar, que formarão a pressão vendedora responsável por estabelecer uma resistência no antigo suporte.

Observe a seguir a ocorrência da mudança de polaridade no gráfico semanal do Ibovespa.


Este princípio é mencionado no excelente livro do STEVE NISON – Japanese Candlestick Charting Techniques (second edition).

Linha de Tendência

As linhas de tendência servem para identificar tendências e também funcionam como suporte ou resistência para os preços. Quanto maior for a inclinação da linha de tendência mais forte é a tendência vigente dos preços.

Quando há topos e fundos ascendentes a linha de tendência é traçada ligando as bordas ou os extremos dos fundos. Portanto temos um linha de tendência de alta. Veja o exemplo abaixo:


Quando há topos e fundos descendentes a linha de tendência é traçada ligando as bordas ou os extremos dos topos. Portanto, temos uma linha de tendência de baixa. Veja o exemplo abaixo:

A linha de tendência é muito usada pelos analistas técnicos para direcionar suas operações. Quando a inclinação da linha é para cima normalmente operam comprando. Quando a inclinação é para baixo normalmente operam vendendo. Os pontos preferidos para entrada são geralmente quando a linha de tendência é usada como suporte ou resistência.

Axioma da Intuição

“Só se pode confiar em um palpite que possa ser explicado.”
MAX GUNTHER
livro: Os axiomas de Zurique

03.09.2007 | 11:12

EUA – Labor Day

Publicado na(s) categoria(s) Ibovespa, Mercado, por Dalton Vieira


Hoje, dia 03/09, é feriado nos EUA e no Canadá (dia do trabalho). Nos últimos feriados (28/05 e 04/07) na terra do tio Sam, a oscilação e o volume financeiro do Ibovespa foram pequenos. O volume financeiro foi de 1,13 e 1,71 bilhões de reais, respectivamente. Portanto, a probabilidade de ter um dia de alta volatilidade na Bovespa é pequena.

Até breve!

 Página 1.116 de 1.134  « Primeira  ... « 1.115  1.116  1.117  1.118 » ...  Última »