Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Ibovespa

24.07.2008 | 0:46

Copom aumenta a Selic em 0,75%

Publicado na(s) categoria(s) Ibovespa, Mercado, por Dalton Vieira

O Banco Central elevou a taxa de juros (básica) para 13% ao ano. A decisão de aumento foi por unanimidade.

“A decisão foi incisiva para garantir a convergência mais rápida da inflação às metas. Foi também uma forma de responder à deterioração muito grande das expectativas de inflação nas últimas semanas”, comentou Flávio Serrano, economista sênior do Bes Investimentos.
fonte: Reuters

A alta de 0,75% na Selic foi acima do esperado pela maioria dos analistas. Agora vamos ver como o mercado se comportará no pregão desta quinta-feira (24). No pregão de hoje (23) o Ibovespa fechou em baixa de 0,38%, após passar boa parte do dia em alta. As ações da Petrobrás foram as principais responsáveis por esta queda, pois tiveram uma desvalorização superior a 3%.

A forte alta da taxa de juros e a dificuldade do Ibovespa de voltar para cima da MME13, podem ser o sinais que faltavam para levar o índice a testar o suporte em 57.824 pontos.

Até breve!

23.07.2008 | 1:33

No caminho inverso

Publicado na(s) categoria(s) Fluxo dos Investidores, Ibovespa, por Dalton Vieira

O Ibovespa nesta terça-feira (22) fechou em baixa de 1,85%, enquanto os índices Dow Jones e S&P500 fecharam em alta superior a 1%. Após tentar por duas vezes superar a resistência proporcionada pela média móvel exponencial de 13 períodos do gráfico diário (figura ao lado), o IBOV não resistiu a pressão vendedora e voltou a fechar abaixo dos 60.000 pontos. O gráfico destaca os suportes para uma possível queda do índice.

A evolução do saldo dos investidores estrangeiros (SIE) na Bovespa no ano de 2008 sinaliza o rompimento do suporte em 57.824 pontos pelo Ibovespa. Observe no gráfico abaixo que o fundo (suporte – linha vermelha) do SIE que antecede uma alta de R$ 12 bilhões foi superado através de uma baixa de R$ 16 bilhões no SIE.


Se a entrada de R$ 12 bilhões de capital estrangeiro fez o Ibovespa subir 16.000 pontos, a saída de R$ 16 bilhões teoricamente teria que fazer o índice cair mais de 16.000 pontos. No entanto, o IBOV continua se segurando em cima do suporte de 57.824 pontos. Vamos ver se esta divergência de baixa se concretizará com uma queda que supere este suporte.

Até breve!

21.07.2008 | 0:32

Análise da Semana – 14 a 18/07

Publicado na(s) categoria(s) Análises Semanais, Fluxo dos Investidores, Ibovespa, por Dalton Vieira

Gráfico Semanal

O Ibovespa terminou a semana com uma leve queda de 0,27%, abaixo dos 60.000 pontos. O candle desta semana não conseguiu fechar acima da máxima da semana anterior nem da média móvel simples de 65 períodos, as quais representam resistências no gráfico semanal (figura ao lado).

Este fato demonstra fraqueza dos touros (compradores), o que pode levar o Ibovespa a testar o suporte em 57.824 pontos. Para uma possível subida a máxima desta semana em 62.606 será uma resistência para os touros.

Gráfico Diário

Após uma forte queda na quinta-feira (17) o IBOV tentou uma reação na sexta-feira (18), mas parou na média móvel exponencial de 13 períodos. Nesta resistência os ursos (vendedores) voltaram a entrar em ação, conseqüentemente mantendo o controle da situação.

O candle com a formação de um doji (18) poderá representar um sinal de alta caso ocorra um fechamento acima de 61.298 pontos. Por outro lado, se ocorrer um fechamento abaixo 59.479 (mínima do doji) poderemos ver o Ibovespa buscando a casa dos 57.000 pontos. Os suportes para uma possível queda estão em:

  • 59.088 – menor fechamento do movimento de baixa anterior.
  • 57.945 – mínima do dia 08.
  • 57.824 – mínima do dia 20/03.

Participação dos Investidores – 16/07

A seguir a participação dos investidores na Bovespa, referente ao mês de julho até o dia 16.


Divergência de baixa

Após o dia 16 percebemos através do gráfico abaixo que aumentou a divergência baixa do saldo dos investidores estrangeiros (SIE) e o Ibovespa.


Portanto, o movimento de alta do IBOV iniciado no dia 08 não teve a colaboração do capital estrangeiro. Este não é um bom sinal, pois o ideal é haver a entrada de capital estrangeiro apoiando uma alta do índice.

Baseado nos sinais da LAD (linha de avanços e declínios) e do SIE, a maior probabilidade é a de ocorrer a perda do suporte em 57.824 pontos.

Boa semana a todos. Até breve!

18.07.2008 | 0:04

IBOV – Na contra-mão

Publicado na(s) categoria(s) Fluxo dos Investidores, Ibovespa, Petrobras, Vale, por Dalton Vieira

No dia (17) em que as bolsas de valores na Europa e nos EUA fecharam em forte alta, o Ibovespa teve uma forte queda de 3,14%. A grande queda das commodities pesou sobre as principais ações (blue chips) da Bovespa. Veja o desempenho de algumas delas:

  • PETR3 -4,17%
  • PETR4 -4,95%
  • VALE3 -5,41%
  • VALE5 -5,4%
  • GGBR4 -5,64%
  • USIM5 -4,41%
  • CSNA3 -6,03%

Somente as 07 ações listadas acima representam mais de 50% do volume financeiro negociado das ações que compõem o índice Bovespa. Portanto, uma forte queda nestes ativos leva o Ibovespa junto, mesmo se houver um número maior de ações fechando em alta.

O grande candle de baixa desta quinta-feira (17) reverteu os bons sinais do candle de alta do dia anterior. Desta forma, a maior probabilidade no curto prazo é do IBOV testar a região de suporte que vai de 59.088 até 57.824 pontos.

Participação dos Investidores – 17/07

A seguir a participação dos investidores na Bovespa, referente ao mês de julho até o dia 17.


Os investidores estrangeiros seguem vendendo mais do que comprando, sinalizando no curto a médio prazo o rompimento do suporte do Ibovespa em 57.824 pontos, conforme comentado na postagem “Participação do Investidores – 10/07“.

Oportunidades

As ações preferenciais da Vale e Petrobrás estão chegando em pontos de suporte bem interessantes para compra após uma grande desvalorização. O último movimento de baixa da PETR4 iniciado no dia 02 já está com 20% de desvalorização. A região de suporte de 36,10 a 35,00 torna-se atrativa para compra caso este movimento de baixa alcance este patamar.

A queda da VALE5 desde o dia 25/06 já é também de 20%. Há um suporte muito importante em $39,60 (fundo nos gráficos diário, semanal e mensal), local onde podemos ter a ação dos touros (compradores). Enfim são cenários interessantes para compra de curto prazo.

Até breve!

17.07.2008 | 0:08

Ações – Sinais de alta

Publicado na(s) categoria(s) Fibria, Fluxo dos Investidores, Ibovespa, Unibanco, por Dalton Vieira

Nesta quarta-feira(16) o Ibovespa fechou em alta de 1,71%, impulsionado pela forte alta do mercado norte-americano. O fechamento acima dos 62.000 pontos supera as seguintes resistências:

  • 61.466 – fundo do dia 14/04
  • 61.600 – máxima do dia 03/07
  • MME13 – média móvel exponencial de 13 períodos
  • LTB – linha de tendência de baixa.

O fechamento acima destas resistências apoiado pelo bom volume financeiro aumenta a probabilidade do IBOV testar a região de resistência que vai de 63.500 até os 65.000 pontos, conforme comentado na análise “Será um sinal de correção?“.

Bancos

As ações dos bancos (ITAU4, BBDC4, UBBR11 e BBAS3) tiveram forte alta apoiadas pelos resultados do Wells Fargo, 5º maior banco dos EUA, acima da média dos analistas. Todas estas ações fecharam o dia (16) com sinais de alta. Comentarei o sinal de alta da UBBR11.

O fechamento do dia da UBBR11 foi acima da resistência de uma pequena zona de congestão do gráfico diário (figura ao lado) e também da MME13. Outros pontos positivos para este sinal de alta são o bom volume de negociações e o local onde ocorreu o sinal de alta, bem no importante suporte de $18,63 do gráfico semanal.

O objetivo deste movimento de alta está em torno dos $21,60, onde há algumas resistências:

  • $21,61 – fundo do dia 24/04
  • $21,63 – MME13 do gráfico semanal
  • $21,70 – máxima da semana – 23 a 27/06.

Acima destas resistências há também outra em $22,40, proporcionada pelo gap de baixa do dia 18/06.

Participação dos Investidores – 14/07

A seguir a participação dos investidores na Bovespa, referente ao mês de julho até o dia 14.


O ponto negativo desta correção do Ibovespa é que até o dia 14 os estrangeiros continuam vendendo mais do que comprando, ou seja, divergente da alta do índice. Veja abaixo o gráfico diário do mês de julho. No ano a saída de capital estrangeiro da bolsa já é superior a R$ 10 bilhões.


Até breve!

15.07.2008 | 1:21

IBOV – Reação tímida

Publicado na(s) categoria(s) Fluxo dos Investidores, Ibovespa, por Dalton Vieira

Nesta segunda-feira (14) o Ibovespa abriu a semana em alta de 0,95%. A correção iniciada após o padrão de reversão comentado na análise “Será o sinal de uma correção?“, até o momento tem se apresentado de maneira tímida.

Após uma queda de 16.000 pontos que representaram uma desvalorização de 21,6%, o IBOV subiu em torno de 3.300 pontos, ou seja, apenas 5,6% após a intensa queda. Esta fraqueza para subir acende um alerta para quem está comprado no curto prazo.

Outro ponto negativo para o atual movimento de correção é que o padrão de reversão dos candles do dia 08 e a sua confirmação no dia seguinte (10) foram divergentes do saldo dos investidores estrangeiros (SIE). Portanto, enquanto o IBOV subiu por dois dias consecutivos o SIE fechou negativo em ambos os dias. Observe no gráfico a seguir a divergência de baixa do SIE em relação ao IBOV.


Neste momento o Ibovespa está muito próximo de uma região de resistência no gráfico diário (figura ao lado).

  • 61.466 – antigo suporte do dia 14/04;
  • 61.600 – máxima do dia 03;
  • média móvel exponencial de 13 períodos; e
  • LTB – Linha de tendência de baixa.

Caso haja uma força compradora (touros) suficiente para fazer o IBOV fechar acima desta região de resistência, haverá espaço para subir e testar a casa dos 63.500 a 64.000 pontos. Caso contrário, poderemos assistir um novo movimento de baixa jogando o índice na faixa dos 54.000 a 53.000 pontos.

Até breve!

 Página 556 de 587  « Primeira  ... « 555  556  557  558 » ...  Última »