Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Petrobras

05.06.2008 | 1:39

Copom, Commodities e Oportunidades

Publicado na(s) categoria(s) Fluxo dos Investidores, Ibovespa, Petrobras, por Dalton Vieira

Copom – BC leva Selic a 12,25%, sem pistas sobre próximo passo

BRASÍLIA (Reuters) – O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou nesta quarta-feira a taxa básica de juro em 0,50 ponto percentual pela segunda vez consecutiva, para 12,25 por cento ao ano, em linha com as expectativas do mercado.

A decisão foi tomada de forma unânime pela diretoria do Banco Central, que não deu indicações sobre os próximos movimentos da taxa.

“O Banco Central ainda não tem informações suficientes para avaliar se a estratégia adotada na última reunião, quando começou a elevar os juros, está dando certo. Por isso, tem que manter o plano de vôo e subir a taxa gradualmente”, afirmou Roberto Padovani, economista-chefe do Westlb.


Commodities – Puxando o Ibovespa para baixo

Nesta quarta-feira (04) o Ibovespa fechou em baixa de 1,91%, a 3ª queda consecutiva na semana. No mês a desvalorização do índice já é superior a 5%. Os próximos suportes estão em:

  • 67.865 – mínima do dia 02/05 e do mês de maio;
  • 67.544 – média móvel exponencial de 13 períodos do gráfico semanal;
  • 66.528 – antigo topo histórico (07/12/2007).

As commodities foram as principais responsáveis por mais esta queda do IBOV. O barril do petróleo WTC caiu 1,65%, cotado a $122,33 dólares. Há um suporte importante em $120,48 dólares, proporcionado pela máxima do topo anterior, logo é um possível local de recuperação ou retomada da alta. O principal índice das commodities (CRB) recuou 0,71%.

Foco nas Oportunidades

As fortes baixas dos últimos 03 pregões trouxeram vários ativos para regiões de suporte interessantes para possíveis compras. Destaco algumas ações PETR4, BBDC4, ITSA4, UBBR11 e JBSS3. A alta da Selic costuma beneficiar as ações dos bancos. A PETR4 já está com 16,5% de desvalorização e pode chegar a praticamente 18% se bater no suporte em 44,20 (máxima do topo do dia 28/12/07). A seguir o gráfico diário desta ação.

Enfim, é a chamada liquidação que o big ou smart money gosta de entrar. É ficar atento neste pregão de quinta-feira (05) nos suportes importantes de cada ação e o possível sinal de alta que venha a ocorrer.

Participação dos Investidores na Bovespa – 02/06


Obs.: Meus parabéns aos torcedores do Fluminense. Belíssima vitória em cima do bicho papão de Libertadores, o famoso Boca Júniors.

Até breve!

03.06.2008 | 20:51

Queda pára nos 70.000 pontos

Publicado na(s) categoria(s) Fluxo dos Investidores, Ibovespa, Petrobras, Vale, por Dalton Vieira

O Ibovespa nesta terça-feira (03) fechou em forte baixa de 2,62%, a maior desvalorização desde o grau de investimento. A queda do dia parou na casa dos 70.000 pontos. Entretanto, o fechamento em 70.011 foi abaixo da região de suporte que vai de 70.992 a 70.334 pontos (fechamento e mínima do dia 27/05), o que sinaliza o provável teste do suporte na faixa dos 69.000 pontos.

A forte queda no preços da commodities ditou os negócios hoje (03) na Bovespa. Além disso, o receio de que os bancos norte-americanos apresentem novas perdas por causa da crise de crédito também colaborou para o desempenho ruim do IBOV. Para avaliar o impacto da queda nos preços da commodities basta olhar o resultado do dia das ações da Petrobrás e Vale, principais responsáveis pela baixa acentuada do índice.

  • PETR3 -5,05%
  • PETR4 -4,70%
  • VALE3 -3,57%
  • VALE5 -3,53%


PETR4

Após o grande candle de baixa de hoje, aumenta-se a probabilidade dos gaps de alta (suportes) em $47,12 (máxima do dia 15) e $46,05 (máxima do dia 12) serem fechados. Além destes suportes há também outro em $45,45 que é justamente o antigo topo histórico. Os suportes mencionados estão destacados no gráfico diário (figura acima)

Esta queda está ficando bem interessante para compra, principalmente se testar os $46,05. Além de ser uma região importante de suporte, a queda iniciada após o topo histórico ($53,68 – 21/05) será de aproximadamente 14,5%. Este percentual de queda já deixa os touros (compradores) bem animados para entrar em ação.

VALE5

A forte queda que desta ação parou no suporte ($52,05) proporcionado pelo topo do dia 27/02. A partir deste ponto há diversos suportes no gráfico diário. São eles:

  • 51,90 – máxima do dia 27/12/2007 (topo);
  • média móvel de 65 dias;
  • 50,05 – mínima do dia 25/04 (fundo);
  • 49,01 – mínima do dia 14/04 (fundo); e
  • 47,55 – máxima do dia 25/03 (gap de alta). Quando será que este gap será fechado?

Assim como a PETR4, se este ativo entrar na casa dos $50,00 teremos uma queda em torno de 14,6% a partir do topo histórico ($59,22) do dia 19/05. Enfim, abaixo dos 52,00 até os 50,00 os touros provavelmente entrarão em ação.

Saldo dos Investidores Estrangeiros (SIE)

Mais uma vez o SIE mostra a sua importância. Conforme destacado aqui no blog desde o dia 20/05 os estrangeiros passaram a vender mais do que comprar. O resultado desta pressão vendedora está agora muito bem representada pelo Ibovespa.

Daqui a pouco a Bovespa libera a participação dos investidores referente ao dia 30/05, o que pode nos mostrar um fechamento negativo em maio após estar positivo R$ 3,7 bilhões. Divulgarei esta informação mais tarde aqui no blog.

Até breve!

11.05.2008 | 23:01

PETR4 – Nova máxima histórica

Publicado na(s) categoria(s) Petrobras, por Dalton Vieira

A PETR4 (Petrobrás PN) fechou a semana com alta de 6,21% (gráfico semanal) e fez uma nova máxima e fechamento histórico ($45,67). O preço desta ação confirmou o sinal dado pelo OBV (On Balance Volume), o qual já havia feito o rompimento do topo histórico.

No gráfico diário (figura acima) após duas tentativas de fechar acima de $45,45 (resistência) a PETR4 fechou na sexta-feira (09) acima deste patamar. O volume de negócios baixo deste dia “diminui a importância” deste rompimento. A expansão do Fibonacci de 161,8% projeta o preço deste ativo na casa dos $50,00.

Tenha uma ótima semana. Até breve!

09.05.2008 | 0:16

PETR4 – On Balance Volume acumulando

Publicado na(s) categoria(s) Petrobras, por Dalton Vieira

A PETR4 está em um ponto muito importante, na sua resistência histórica ($45,44). O OBV (On Balance Volume) sinaliza o rompimento (fechamento acima) desta resistência. Pontos em destaque no OBV do gráfico diário (figura ao lado):

  • Acumulação (topos e fundos ascendentes); e
  • Rompimento do seu topo histórico há dias, antes do preço.

Por outro lado, este ativo praticamente formou dois dojis nesta importante resistência, o que pode significar uma reversão do atual movimento de alta se houver um fechamento abaixo de $44,30 (mínima deste pregão – 08/05). Por enquanto é o menos provável, mas sempre é importante se planejar para não confirmação da maior probabilidade (continuidade da alta).

Um fechamento acima de $45,44 com um bom volume de negociações seria excelente, pois provavelmente levaria o Ibovespa junto. Será que vai ocorrer nesta sexta-feira (08) ou teremos um sinal de reversão?

Até breve!

27.04.2008 | 23:08

Petrobrás – Desdobramento

Publicado na(s) categoria(s) Petrobras, por Dalton Vieira

A partir desta segunda-feira (28) as ações da Petrobrás sofrerão um desdobramento. O investidor que possui 100 ações preferenciais (PETR4) a $84,30 passará a ter 200 ações a $42,15. Este evento corporativo aumenta a quantidade de investidores que podem comprar um lote padrão (100 ações) da empresa.

No caso da PETR4 na sexta-feira (25) seria necessário desembolsar em torno de R$ 8.400,00 para comprar um lote padrão desta ação. A partir da segunda-feira (28) será necessário aproximadamente R$ 4.200,00 para comprar a mesma quantidade de ações. Este fato costuma aumentar a liquidez e também gerar uma alta na cotação do ativo.

No gráfico diário (figura ao lado) a PETR4 está próxima de importantes resistências e formou na sexta-feira o padrão de reversão dos candles chamado Harami. Ao meu ver um fechamento acima da máxima do dia 24 ($85,28) acompanhado de um bom volume de negociações será um sinal de alta para testar ou romper as resistências em $88,40 e $90,89 (topo histórico). Na segunda estes valores serão $44,20 e $44,45.

Tenha uma ótima semana.

Até breve!

20.03.2008 | 0:48

Petrobrás e Vale afundam o Ibovespa

Publicado na(s) categoria(s) Ibovespa, Petrobras, Vale, por Dalton Vieira

Com uma desvalorização superior a 7% nesta quarta-feira (19), as ações da Petrobrás e Vale afundaram o Ibovespa. As quatro ações destas duas empresas estão entre as maiores baixas do dia no índice Bovespa, conforme mostra a figura abaixo.


A seguir as notícias que se destacaram no decorrer do dia:

Queda de commodities apaga ânimo pós-Fed e Bovespa cai 5%

SÃO PAULO (Reuters) – Uma forte correção dos preços das commodities internacionais e seu efeito sobre ações de peso no mercado doméstico fez a Bolsa de Valores de São Paulo mergulhar para a segunda maior queda em 2008.

Segundo Hamilton Moreira, analista sênior do BB Investimentos, a explicação para o movimento desta quarta-feira foi a percepção mais generalizada de que os preços das commodities não poderiam se sustentar em patamares tão elevados quanto os vistos recentemente, dada a expectativa de forte desaceleração dos Estados Unidos, com desdobramentos mundiais.

Crise é pior do que o esperado, dizem membros do BCE

LUXEMBURGO/PARIS (Reuters) – A turbulência nos mercados financeiros é pior do que o imaginado anteriormente e a zona do euro não deve escapar ilesa, disseram membros do Banco Central Europeu (BCE) nesta quarta-feira.

Em momentos separados nesta quarta-feira, o belga Guy Quaden e o luxemburguês Yves Mersch disseram que a economia da zona do euro não está imune à desaceleração dos Estados Unidos e que também será afetada pela turbulência financeira.

Bolsas dos EUA afundam com petróleo, ouro e Merrill

NOVA YORK (Reuters) – As bolsas norte-americanas fecharam em forte queda nesta quarta-feira à medida que um mergulho nos preços do ouro e do petróleo puxaram as ações do setor de energia e mineradoras, e especulações de que o Merrill Lynch possa ter mais baixas contábeis abateram o otimismo de que a crise do crédito estava diminuindo.

Uma ação judicial do Merrill Lynch contra uma seguradora de bônus criou especulações de que a corretora e banco de investimento pode não ter proteção suficiente contra perdas por exposição a ativos que estão no coração da crise do crédito. O que pode levar a mais baixas contábeis.

Gráfico Diário

A força dos touros que dominou o pregão da terça-feira (18) parou na primeira resistência que encontrou pela frente, os 62.367 pontos (fechamento e máxima do dia 11). A ação dos ursos (vendedores) não permitiu nem o teste da resistência em torno dos 63.000 pontos.

O grande candle de baixa de hoje (19) superou dois suportes importantes de fechamento. São eles:

  • 59.999 – dia 10/03; e
  • 58.965 – dia 06/02.

A superação destes suportes ocorreu com um volume financeiro alto de aproximadamente R$ 5,07 bilhões. Este fato demonstra o controle da situação por parte dos ursos (vendedores), o que pode levar o Ibovespa a uma correção mais forte no curto/médio prazo. O suporte em 58.029 deverá ser testado no próximo pregão (20).


Oportunidades

Mais uma vez menciono que os momentos de crise e pânico costumam revelar ótimas oportunidades de compra de curto prazo (swing ou position trade) e também a possibilidade de adicionar ações na carteira de longo prazo.

  • Swing Trade – 02 a 05 dias;
  • Position Trade – 03 a 08 semanas.

Vamos monitorar possíveis oportunidades. Até breve!

 Página 469 de 472  « Primeira  ... « 468  469  470  471 » ...  Última »