Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

13.05.2015 | 17:21

Clímax – Monitore os momentos de reversão do mercado

Publicado na(s) categoria(s) Análise Técnica, Aprendizado, por Dalton Vieira

Olá amigos investidores, sejam muito bem-vindos a nossa sala de aprendizado. Explicarei neste vídeo o que é o Clímax e as principais características deste indicador.

Conceito

O Clímax é um importante indicador misto e oscilador criado por Joseph Granville. O que ele monitora? Correto, monitora os momentos em que o mercado, índice ou um determinado setor da economia está sobrecomprado ou sobrevendido.

Como é o cálculo deste indicador? O Clímax pega um grupo de ações e avalia cada uma para identificar se fechou em alta ou baixa, bem como se o indicador OBV – On Balance Volume estava acumulando ou distribuindo. Abordarei separadamente o OBV em outro vídeo de aprendizado.

Como cada ação contribui no cálculo do Clímax?

1. Ação em alta e OBV acumulando, valor +1 para o ativo.

2. Ação em alta e OBV neutro, valor igual a zero.

3. Ação em baixa e OBV distribuindo, valor -1 para o ativo.

4. Ação em baixa e OBV neutro, valor igual a zero.

Ao final soma todos os valores de cada ação para encontrar o Clímax do dia. Mas o que é OBV acumulando, distribuindo ou neutro? Acumulando é quando o ativo fecha em alta consecutiva. Exemplo, uma ação fecha hoje em alta e no dia anterior também teve valorização, logo houve acumulação no OBV.

Distribuindo é quando um ativo fecha em baixa consecutiva. Exemplo, uma ação fecha hoje em baixa e no dia anterior também teve desvalorização, logo houve distribuição no OBV. Quando uma ação fecha em alta após um dia de baixa ou fecha em baixa após um dia de alta, o OBV fica neutro.

Vamos a um exemplo do cálculo do Clímax usando um grupo de 6 ações. Para um melhor entendimento o cálculo será feito separadamente. Repare na tabela que a VALE5 fechou o dia em alta e o OBV estava acumulando, ou seja, apresentando alta consecutiva. Portanto, a VALE5 entra com +1 no cálculo do Clímax.

A seguir observe que a PETR4 fechou o dia em alta e o OBV ficou neutro, ou seja, o dia anterior foi de baixa. Neste caso a PETR4 entra com 0 na contagem. Na próxima linha a OGXP3 fechou em baixa e o OBV estava distribuindo, logo a OGXP3 entrou com -1 no cálculo do Clímax.

Na sequência veja a contribuição de cada ativo no cálculo do Clímax, de acordo com seu fechamento e OBV. Ao somar todos resultados teremos o valor do indicador após um pregão. Neste caso o Clímax poderá variar de -6 a +6, porque seria respectivamente o valor mínimo ou máximo que o Clímax pode ficar, caso todas as ações fiquem com valor -1 ou +1.

Exemplo – IBOV

Vamos agora a um exemplo usando o Índice Bovespa, composto por 69 ações até a produção deste vídeo. A linha vermelha representa o indicador e a linha roxa o IBOV. Na parte lateral esquerda há a escala de valores do Clímax, com destaques percentuais para facilitar a análise. Na parte lateral direita há a escala de valores do índice Bovespa.

Por ser um oscilador o Clímax possui regiões de sobrecompra e sobrevenda, que na maioria da vezes ficam localizadas a partir da linha dos 50%, conforme destacado. No entanto, em uma tendência de alta bem definida do índice ou setor que está sendo analisado, o Clímax é considerado sobrecomprado a partir dos 50% e sobrevendido a partir dos 30%.

Por outro lado, em uma tendência de baixa bem definida o Clímax fica sobrecomprado a partir dos 30% e sobrevendido a partir dos 50%. Recomendo assistir ao vídeo de aprendizado relacionado ao significado de sobrecomprado e sobrevendido, visando obter um melhor entendimento sobre este importante assunto.

Quais são os sinais gráficos emitidos pelo indicador?

1. Invasão das regiões de sobrecompra e sobrevenda. Quando o Clímax entra em uma destas regiões aumenta-se a chance de ocorrer a reversão do atual movimento de alta ou baixa.

Por exemplo, repare no gráfico os pontos destacados pelas setas na cor azul em que o Clímax estava sobrevendido. Agora veja que na maioria das vezes o Ibovespa inicia nos pregões seguintes um movimento de alta.

2. Divergência de alta ou baixa. Este é o sinal mais significativo do Clímax principalmente quando o mesmo ocorre dentro das regiões de sobrecompra ou sobrevenda. Observe através do ponto A no gráfico que houve uma divergência de alta na região sobrevendida.

Por quê? Porque o Clímax subiu e o Ibovespa caiu. Este fato aumenta bem a chance do índice seguir os passos do indicador, ou seja, iniciar um movimento de alta. Analistas de mercado costumam usar este cenário para realizar operações de compra.

Em uma divergência de baixa do Clímax na região sobrecomprada também é um cenário usado pelos analistas para vender uma determinada ação, seja para colocar o lucro no bolso ou para tentar lucrar com a queda do índice.

Etapa concluída

Parabéns! Você concluiu mais uma etapa.

Espero sempre contar com a sua presença na nossa sala de aprendizado. Muito obrigado!

Recomendo!

Assista também ao vídeo Indicadores. Deseja continuar o aprendizado? Simples, acesse o menu Aprendizado do site e desfrute dos diversos vídeos e artigos disponíveis.

4 Comentários

Assine os feeds dos comentários deste post

  1. Marlon disse:

    Olá Dalton,

    Gostaria de saber onde se pode encontrar gráficos de análise do climax/IBOV.

  2. Dalton Vieira disse:

    Olá Marlon,

    Através do WSC. Mais detalhes em http://daltonvieira.com/wsc.

    Grande abraço.

  3. Paulo Rodrigues disse:

    Dalton, aqui no dadosdabolsa,encontramos o LAD e CLIMAX da Bovespa, existe algum site onde posso encontra o LAD e CLIMAX do DJI, DAX e FTSE e alguns ativos destas bolsas

  4. Dalton Vieira disse:

    Olá Paulo, infelizmente desconheço.

    Grande abraço.

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.