Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

27.07.2016 | 19:32

Como calcular o imposto de renda na bolsa de valores

Publicado na(s) categoria(s) Análise Técnica, Aprendizado, por Dalton Vieira

Olá amigos investidores, sejam muito bem-vindos a nossa sala de aprendizado. Explicarei neste vídeo como calcular o imposto de renda no mercado de ações.

Alíquota

Primeiramente qual é a alíquota que incide sobre os rendimentos e ganhos líquidos obtidos nas operações no mercado de ações? A alíquota do imposto é definida de acordo com o tipo de operação.

Operações Normais

Vamos começar abordando as operações normais, caracterizadas pela compra e venda de um ativo efetuadas em pregões distintos.

Nas operações normais a alíquota é de 15% sobre o ganho líquido no mês. Há também a alíquota do imposto retido na fonte que é de 0,005%. Esta alíquota incide sobre todas as vendas e basicamente serve como instrumento de controle da Receita Federal para rastrear possíveis sonegações.

Não haverá necessidade de recolher imposto caso o somatório das vendas realizadas no mês seja menor ou igual a R$ 20.000,00. Vale destacar que as taxas cobradas na compra e venda de ativos, como corretagem, emolumentos e custódia, poderão ser deduzidas do ganho de capital. Saiba mais sobre estas taxas assistindo ao vídeo de aprendizado sobre custos operacionais.

Operações Normais – Exemplo

Para um melhor entendimento da aplicação do imposto nas operações normais, vamos a dois exemplos:

1. Suponhamos que você vendeu R$ 10.000,00 de PETR4 e R$ 9.000,00 de VALE5 no mês de agosto de 2011. Destas vendas houve um ganho líquido de R$ 1.000,00.

Será necessário recolher o imposto? Não. Por quê? Porque o somatório das vendas (R$ 19.000,00) não superou os R$ 20.000,00. Neste caso você não precisará recolher imposto sobre o rendimento obtido.

2. Suponhamos que você vendeu R$ 14.000,00 de BVMF3 e R$ 10.000,00 de BBAS3 em um mesmo mês. Destas vendas seu lucro líquido, obtido após deduzir os custos operacionais do lucro bruto, foi de R$ 2.000,00. Neste exemplo será necessário recolher imposto. Por quê? Excelente, porque houve ganho de capital e o somatório das vendas (R$ 24.000,00) ultrapassou os R$ 20.000,00.

Mas qual é o imposto devido sobre o ganho apurado no mês? Primeiramente é necessário saber qual foi o imposto retido na fonte. O cálculo é simples, basta aplicar a alíquota de 0,005% sobre o valor das vendas realizadas. Na BVMF3 o valor foi de R$ 0,70 (0,005% de R$ 14.000,00). Já na BBAS3 o valor foi de R$ 0,50, totalizando R$ 1,20 de imposto retido na fonte.

Por último aplica-se a alíquota de 15% sobre os R$ 2.000,00 – lucro líquido do mês. Resultado: R$ 300,00. Ao deduzir deste valor o imposto retido de R$ 1,20, obtemos R$ 298,80. Pronto! Este é o imposto a ser recolhido junto à receita federal.

Operações Daytrade

Vamos agora abordar o imposto sobre as operações daytrade, caracterizadas pela compra e venda de um ativo em um mesmo dia. A alíquota para este tipo de operação é de 20% sobre o ganho líquido no mês, independente do acumulado de vendas no mês.

Há também a alíquota do imposto retido na fonte que é de 1%. Esta alíquota incide sobre o lucro líquido das operações, servindo como instrumento de controle da Receita Federal para rastrear possíveis sonegações. Assim como nas operações normais, as taxas cobradas na compra e venda de ativos poderão ser deduzidas do ganho de capital.

Operações Daytrade – Exemplo

Para facilitar o entendimento vamos a um exemplo prático. Suponhamos que você comprou GGBR4 em um determinado pregão e vendeu as ações compradas no mesmo dia por R$ 10.000,00. O seu lucro líquido, obtido após deduzir os custos operacionais do lucro bruto, foi de R$ 200,00.

Qual o valor do imposto retido na fonte sobre esta operação? Correto, 1% sobre o lucro líquido de R$ 200,00, cujo resultado é igual a R$ 2,00. Supondo que esta tenha sido sua única operação de daytrade no mês, o imposto a recolher junto à receita será de R$ 40,00, ou seja, 20% de R$ 200,00. E como realizar o recolhimento? Abordarei este assunto em outro vídeo de aprendizado.

Compensação de Perdas

Você sabia que é possível compensar as perdas acumuladas? Pois é, caso o investidor tenha tido prejuízo nas operações dos meses anteriores, o mesmo poderá ser abatido dos lucros gerados nos próximos meses.

Por exemplo, suponhamos que no apurado do mês de maio de 2011 você teve um prejuízo de R$ 1.000,00. No mês de junho suas operações geraram prejuízo novamente, só que desta vez foi de R$ 500,00. No acumulado temos R$ 1.500,00 de perdas que poderão ser compensadas.

No mês julho você obteve um lucro líquido de R$ 1.200,00. Abatendo o acumulado de perdas dos meses anteriores, ainda haverá um déficit de R$ 300,00. Logo não haverá necessidade de recolher imposto após o lucro de julho.

No entanto, no mês de agosto seu lucro líquido foi de R$ 1.300,00. Após compensar os R$ 300,00 restantes de prejuízo, você ainda ficará com um resultado positivo de R$ 1.000,00. Considerando todas as operações deste exemplo como normais, ao final de agosto teremos um imposto de R$ 150,00 para recolher, ou seja, 15% de R$ 1.000,00.

É importante destacar que a compensação de perdas só pode ser feita para um mesmo tipo de operação. Portanto, perdas em operações normais somente poderão ser compensadas em lucros auferidos em operações normais. O mesmo serve para as operações de daytrade.

Etapa concluída

Parabéns! Você concluiu mais uma etapa.

Espero sempre contar com a sua presença na nossa sala de aprendizado. Muito obrigado!

Recomendo!

Assista também ao vídeo Como recolher o imposto de renda na bolsa de valores. Deseja continuar o aprendizado? Simples, acesse o menu Aprendizado do site e desfrute dos diversos vídeos e artigos disponíveis.

303 Comentários

Assine os feeds dos comentários deste post

  1. Jose Figueiredo disse:

    Oi Dalton, nao foi abordada uma duvida que muitos tem:

    OPERAÇOES NORMAIS:

    Suponhamos que vendemos (no mesmo mes):

    GGBR4 = 15000 (com lucro de 2000)
    PETR4 = 10000 (com prejuizo de 1000)

    Como o somatorio das vendas foi 25000 (>20000), devemos recolher imposto sobre o lucro -> 15% x 2000 = 300,00.

    Estou certo?

    Ou devemos deduzir o prejuizo? 15% x (2000 – 1000 = 150,00)??

    Abraços.

  2. Dalton Vieira disse:

    Olá Jose Figueiredo,

    O resultado das operações de um mês englobam as positivas e as negativas. Desta forma, no exemplo apresentado deveremos recolher imposto sobre 1.000,00 (diferença positiva dos resultados das operações) – 2ª opção. Logo, o imposto devido será de R$ 150,00.

    Obrigado pela participação. Um ótimo final de semana. Grande abraço.

  3. Marvin disse:

    Olá Dalton.

    Primeiramente, parabéns pelo blog. A minha dúvida é: QUANDO pagar o imposto? Sei que no caso de daytrade o prazo é o último dia útil do mês sequinte a que se está fazendo a apuração, correto? Mas e no caso de operações normais, qual o prazo? É via DARF obrigatoriamente ou dá pra deixar rolar até o IRPF no início do outro ano?

    Um grande abraço,

    Marvin.

  4. Dalton Vieira disse:

    Olá Marvin,

    Recomendo assistir ao vídeo de aprendizado “Como recolher o imposto de renda“.

    Para ambos os casos, o recolhimento é feito no mês subsequente ao da apuração. A declaração anual é apenas para registrar o imposto recolhido no decorrer do ano.

    Grande abraço e ótimo final de semana.

  5. Alex disse:

    Olá Dalton,

    Só preciso pagar impostos caso as vendas sejam superiores a 20.000,00 e quando obtenho lucro com elas,correto ?

  6. Alex disse:

    Olá Dalton,

    Outra dúvida,quanto faço o cálculo para pagar o imposto eu deduzo as taxas tanto cobradas na hora da compra,quanto na hora da venda,(taxa de liquidação,emolumentos,taxa de corretagem),correto ?

    Um abraço !

  7. Dalton Vieira disse:

    Olá Alex,

    1. Correto. Caso obtenha lucro ao final do mês e o somatório das vendas seja superior a 20 mil reais.

    2. Correto. Deduz do lucro bruto os custos operacionais gerados ao comprar e vender as ações.

    Grande abraço.

  8. Alex disse:

    Olá Dalton,

    Primeiramente,obrigado pelas respostas !

    Eu tenho uma dúvida no que diz respeito a declaração do IR.Eu comprei ano passado 100 ações de uma empresa.Eu teria que ter declarado isso no IRPF2011,mesmo que não vendesse ? Agora em 2011 eu vendi a mesma,mas tive um pequeno prejuízo,como fica em relação ao IRPF2012 ?

    Um abraço !

  9. Dalton Vieira disse:

    Olá Alex,

    No IRPF2012 você declara apenas o prejuízo desta operação no mês em que ocorreu.

    Grande abraço.

  10. Andre disse:

    Tenho uma duvida em relaçao aos lucros.
    1. Tenho 20 mil reais em ações e obtive um lucro de mil reais no mês mas executei a venda dessas ações, mesmo assim tenho que pagar o imposto referente ao montande de ações que possuo ou não?

  11. Andre disse:

    Olá Dalton,

    Desconsidere a pergunta a cima.

    Tenho uma dúvida em relação aos lucros.
    1. Tenho 20 mil reais em ações e obtive um lucro de mil reais no mês mas não executei a venda dessas ações, mesmo assim tenho que pagar o imposto referente ao montande de ações que possuo ou só se for efetivada a venda da mesma?

  12. Dalton Vieira disse:

    Olá Andre,

    No exemplo comentado somente necessitará recolher imposto após vender efetivamente suas ações e o volume total das vendas no mês ultrapassar os R$20.000,00.

    Grande abraço.

  13. Sergio disse:

    Boa tarde Dalton,
    Esse ano não foi muito bom para mim tenho ao longo do ano prejuizo acumulado de R$10mil , porem no mes de Dezembro estou conseguindo um lucro de R$6mil , porem não vendi nenhuma ação ainda , eu poderia vender acima de R$20mil em ações e abater do prejuizo, sem ter que pagar imposto?

  14. Dalton Vieira disse:

    Olá Sergio,

    Sim, caso o prejuízo de 10 mil tenha sido ocorrido após encerrar operações no decorrer de 2011. Caso o volume de vendas neste mês ultrapasse os 20 mil e seu lucro seja de 6 mil, não será necessário recolher imposto.

    Grande abraço.

  15. pedro paulo disse:

    dalton, supondo que, vendendo ações, eu tive prejuízo de 2.000,00 no caso eu teria que inserir a ordem de compra e venda(15,00 x2), então meu preju total seria de 2030,00?
    e agora se por acaso eu tivesse um lucro de 2000,00 , eu teria que descontar as 2 ordens(compra e venda) entao meu lucro líquido seria de 2k-30,00 =1970,00
    ta correto meu isso ? valeu

  16. Sergio Nunes disse:

    Caro Dalton,
    No ano de 2011 tive um prejuizo de R$5.000,00 em operações normais , posso continuar usando essa compensação de perdas no ano de 2012 em operações normais??

  17. Dalton Vieira disse:

    Oi Pedro,

    Está correto. Lembre-se apenas de também incluir os emolumentos para serem descontados do lucro ou acrescentados no prejuízo.

    Grande abraço.

  18. Dalton Vieira disse:

    Olá Sergio,

    Sim, você pode compensar as perdas de 2011 no lucro obtido no decorrer de um mês de 2012.

    Grande abraço.

  19. Alexh disse:

    Olá Dalton,

    Tenho uma dúvida sobre o IRPF, o imposto retido sobre os juros capital próprio na hora do pagto dos dividendos é pra abater no Imposto de Renda tanbém ? Se sim,como proceder ?

    Um abraço e obrigado desde já !

  20. Dalton Vieira disse:

    Olá Alexh,

    Não. Os juros pagos ou creditados, a título de remuneração do capital próprio, devem ser tributados exclusivamente na fonte à alíquota de 15%, na data do pagamento ou crédito. O imposto retido não pode ser compensado na Declaração de Ajuste Anual.

    Grande abraço.

  21. Alex Menezes disse:

    Olá Dalton,

    Ao longo de 2011 tive um prejuízo de R$3800,00,em dezembro/2012 esse foi o montante no decorrer do ano,posso carregar esse prejuízo nos meses de 2012 e abater quando o volume de vendas for superior a 20000,00 reais ?

    Obrigado !

    Abs.

  22. Dalton Vieira disse:

    Olá Alex,

    Sim, você pode abater este valor dos lucros que forem gerados nos próximos meses e que não sejam isentos.

    Grande abraço.

  23. Claudia Ferreira disse:

    Oi Dalton, tenho uma duvida, meu contador me falou que eu nao posso deduzir as taxas de corretagem, sobre o ganho de capial como voce mensionou e sim do valor da venda voce pode me confirmar por favor?
    Tambem os emolumentos obrigada,
    Claudia

  24. Dalton Vieira disse:

    Olá Claudia,

    As taxas de corretagem e os emolumentos são deduzidos do lucro bruto obtido nas operações realizadas no mercado de ações, conforme comentado no vídeo. É necessário fazer esta dedução somente se o somatório das vendas realizadas no mês ultrapassar os R$20.000,00.

    Acredito que o link (http://bit.ly/KEM4Dg) pode ajudar seu contador. (1º parágrafo da Base de Cálculo).

    Grande abraço.

  25. Gabriel Guimaraes disse:

    Ola Dalton,

    Obrigado pelo post. Minha duvida é a seguinte: Em operações daytrade com mini indice, tambem esta valendo isso de compensar
    Perdas? E caso seja possivel seria sobre o lucro mensal o pagamebto de imposto de renda?
    Ex: Ontem tive lucro de 5000 reais.
    Hoje perdi 2000 reais.
    No fim do mes pago imposto apenas sobre 3000?
    Obrigado.

  26. Dalton Vieira disse:

    Olá Gabriel,

    Sim, você poderá as compensar perdas incorridas em operações daytrade. A compensação ocorrerá sobre o resultado positivo de operações da mesma espécie (daytrade) nos meses subsequentes.

    Sobre o exemplo citado, correto, você fará o cálculo do imposto sobre o lucro bruto de R$3.000,00.

    Grande abraço.

  27. Como calcular o imposto de renda na bolsa de valores - Blog Investmania disse:

    [...] A alíquota do imposto é definida de acordo com o tipo de operação. Veja mais no vídeo. Fonte:  Dalton Vieira /* Be Sociable, Share! [...]

  28. Solange disse:

    Bom dia Dalton,
    Tem sido muito bom seus estudos para mim!aprendo muito!
    minha dúvida é: a corretora vai cobrar sempre que eu passar dos 20 mil mensais ou eu tenho que ir somando e verificar? pois no caso de day trade a corretora sempre informa o imposto retido.No caso de passar dos 20 , eu teria que somar nota a nota para ter certeza?

    e se eu comprei açoes num mes e vendi em outro?

    e o volume day trade eu posso deduzir do volume dos 20?

  29. Dalton Vieira disse:

    Olá Solange,

    O responsável pelo recolhimento do imposto é o investidor. O imposto retido na fonte após a realização das vendas é apenas uma forma da Receita Federal rastrear quem está sonegando. Este valor retido poderá ser deduzido do valor final do imposto a ser recolhido via DARF.

    Apenas as operações normais possuem isenção do recolhimento, caso o somatório das vendas do mês não ultrapasse os R$20 mil. Não importa quando a compra foi efetuada, o importante é se em um determinado mês você as vendas realizadas resultaram em lucro e o volume das mesmas foi superior a R$20 mil. Neste caso, será necessário recolher o imposto via DARF.

    Grande abraço.

  30. Robson Carvalho disse:

    Dalton, primeiramente parabéns pelo site e sua iniciativa! Seus ensinamentos são importantes para todos nós.

    Vamos a um exemplo: Vendi mais de 20K no mês de Dezembro/2012, sendo necessário recolher o imposto de renda. São 2 operações. Na 1. tive um lucro de R$507,64 (descontando todos os custos operacionais, menos o I.R.) e na 2. tive um prejuízo de R$141,77. Meu valor para recolher o I.R é a diferença do lucro e prejuízo? Nesse caso R$365,87. Esta correto?

    No caso quando há venda com prejuízo também há recolhido de I.R na fonte(0.005% Normal e 1% DayTrade)?

    Obrigado pela sua atenção! Abraço.

  31. Dalton Vieira disse:

    Olá Robson,

    1. Correto. Após aplicar a alíquota de 15% sobre os R$365,87, você deduzirá o valor total do imposto retido na fonte.

    2. Sim, lembrando que depois você poderá retirar o imposto retido na fonte após aplicar a alíquota do IR sobre o lucro líquido.

    Obrigado por prestigiar o conteúdo do site. Grande abraço.

  32. Nei_aju disse:

    Boa noite Dalton,

    Você teria algum vídeo mostrando como preencher e adicionar esses dados na declaração anual. Eu tive algumas perdas e nos meses que eu investir e não tive como declarar. No caso eu compensei as perdas pelos Lucros nos meses subsequentes. Mesmo assim eu fiquei com um saldo negativo e quero declarar os ganhos e as perdas. Você teria um vídeo como preencher no Programa do IR. As porcentagens eu sei calcular, mas não sei onde colocar no programa.

    Fico grato desde já.

  33. Dalton Vieira disse:

    Olá Nei,

    Infelizmente eu não tenho esse vídeo de aprendizado ainda. Avaliarei a possibilidade de produzir o mesmo já para a declaração desse ano. Muito obrigado pelo comentário e sugestão de vídeo.

    Grande abraço e uma ótima semana.

  34. cicero alves do nascimento disse:

    Olá seus comentários e explicações são muito esclarecedor e de facil entendimento.

    obrigado

  35. Dalton Vieira disse:

    Olá Cicero,

    Muito obrigado pelo feedback. Espero sempre vê-lo por aqui.

    Grande abraço.

  36. Sidnei disse:

    Boa noite Dalton, antes de mais parabens

    pelo o seu trabalho.

    a minha duvida e a seguinte:

    digamos que as minhas operaços comuns ficaram abaixo de 20.000,00 mas eu tbm fiz operaçao de day trade e entao, ainda assim estou na faixa de isento ?

  37. Dalton Vieira disse:

    Olá Sidnei,

    Não existe isenção para operações Daytrade, apenas para operações normais. Logo, teve lucro fazendo daytrade será necessário calcular e recolher o imposto devido, aplicando a alíquota de 20% sobre o lucro líquido.

    Grande abraço.

  38. Sidnei disse:

    digamos que eu fiz operacçoes comuns

    15.000 , mas tbm fiz day trade de 6.000 nesse mesmo

    mes. eu continuo na faixa de isento de 20.000 de

    operaçoes comuns ou nao?

  39. Dalton Vieira disse:

    Olá Sidnei,

    O limite de R$20.000,00 para isenção se deve apenas as operações normais. Logo, as operações de daytrade não entram neste cálculo.

    Grande abraço.

  40. Fabio Jose T. disse:

    Olá Dalton, tenho uma dúvida de IR.

    Ganhos em operações, com vendas inferiores a 20 mil no mês deverão ser abatidas de prejuízos realizados anteriormente? Sim ou Não?
    Ex. Nov. Prejuízo R$1.000,00. (em alienações totais de R$25.000,00).
    Dez. Ganhos R$ 1.200,00 (em alienações totais de R$12.000,00). Portanto, inferior a 20 mil mês, e dessa forma, isento de I.R., mas devo subtrair este ganho do prejuízo que eu tinha?
    Um grande abraço! Excelente canal.

  41. Dalton Vieira disse:

    Olá Fabio,

    A compensação dos prejuízos será feita em cima dos lucros tributáveis. Logo, o lucro isento (total de vendas no mês inferior a R$20.000,00) não reduzirão o valor dos prejuízos a serem compensados nos lucros tributáveis.

    Obrigado pelo elogio e por prestigiar o conteúdo do site. Grande abraço.

  42. cicero nascimento disse:

    Olá Dalton
    Você tem um programa de gerenciamento de carteira inclusive com emissão de daf? se pode me ajudar neste sentido.

    obrigado

  43. Dalton Vieira disse:

    Olá Cicero,

    Acredito que o programa IRPFbolsa deve atender bem as suas necessidades.

    Grande abraço e uma Feliz Páscoa.

  44. Rogerio silveira disse:

    Olá, Dalton
    Minha dúvida e a seguinte;comecei a trabalhar com ações em agosto 2012 e não sabia que tinha que tinha que pagar imposto, porém tive lucro no mes de agosto e setembro e não paguei imposto e nao sabendo preencher uma darf aderi a calculadora easynvest a qual gerou uma darf com vencimento no mes seguinte dos ganho, paguei essas darf hoje, so que nao foi cobrado juro, como faço para pagar esse juro pq o vencimento das darf era 30 de set e 31 de out.Paguei uma conta vencida sem juro

  45. Dalton Vieira disse:

    Olá Rogerio,

    Multa – A taxa por dia de atraso é de 0,33%, limitada ao valor máximo referente a 20% do imposto devido. O número de dias em atraso é contado a partir do primeiro dia útil posterior ao vencimento até o pagamento efetivo. No seu caso um cálculo será a partir do dia 1º de outubro/12 e o outro do dia 1º de novembro/12.

    Juros – Os juros são calculados pela taxa Selic sobre o valor do imposto devido, de acordo com a data do pagamento. Pagamentos efetuados mais de um mês do vencimento – aplicar a taxa Selic acumulada desde o mês posterior ao vencimento, acrescida de 1% sobre o valor do imposto devido.

    Para facilitar no site da Receita Federal há um programa chamado Sicalc que já emite o DARF, contabilizando a multa e os juros. Clique aqui para fazer o download.

    Grande abraço.

  46. Rogerio silveira disse:

    Olá Dalton,

    Na declaração anual deve-se declarar o total das vendas de cada mes certo, mas esse valor é com descontos de corretagem e emolumentos ou não.
    ex; vedi 1000 ações a 2,00 + 10,00 cotagem + 1,00 emolumentos devo colocar na declaração anual r$ 2.000 ou r$ 1.989

  47. Dalton Vieira disse:

    Olá Rogerio,

    Você deve informar o resultado líquido de cada mês para as Operações Comuns e Day-Trade. Ou seja, informar o lucro ou prejuízo já com a dedução ou acréscimo dos custos operacionais, respectivamente.

    No exemplo, você não lançará o valor total da venda menos os custos operacionais. Lembre-se, é resultado final da operação (ganho ou prejuízo).

    Grande abraço.

  48. cicero alves disse:

    Olá Dalton
    Senpre que eu entrar em uma operação devo levar em consideração que vinde mil será sempre isento certo?
    então se aplico quarenta, vinte será isento, irei pagar imposto
    em operação normal de vinte mil.

    um abraço e obrigado

  49. Dalton Vieira disse:

    Olá Cicero,

    Não. R$20.000,00 é limite de isenção do somatório das vendas realizadas dentro de um mês. Se realizou uma venda de R$40.000,00 e obteve lucro, será necessário calcular o imposto sobre o lucro líquido da operação. Se além desta, fizer mais uma venda de R$10.000,00 no mesmo mês, será necessário calcular o imposto sobre o lucro líquido total das duas operações.

    Enfim, só ficará isento de recolhimento de imposto se o somatório das vendas não ultrapassar os R$20.000,00.

    Grande abraço.

  50. cicero alves disse:

    muito obrigado

  51. Rogerio silveira disse:

    Olá dalton

    Minha duvida é; os impostos pagos sobre lucro de ações, opções é devolvido pelo governo ou não.

  52. Rogerio silveira disse:

    Como funciona o mercado de opções é tipo ações porem com risco bem maior, por ex compro opções to correndo risco de ganhar ou perder apos vendo com prejuiso; tenho algum risco de perder mais após vender ou não.
    Para mim acho que se tenho opções comprada o risco existe, mas se vendi o risco de perder termina. No meu caso quero vender sempre antes do dia de vencimento.

  53. Marlon Fernandes disse:

    Olá Dalton,

    Gostaria de saber se para fazer a compensação entre os prejuízos e os lucros, é preciso fazer algum procedimento, informar a Receita Federal (nesse caso, quando), ou basta cada investidor fazer suas contas e simplesmente deixar de recolher, caso assim entenda.

    Desde já agradeço.

  54. Dalton Vieira disse:

    Olá Rogerio,

    1. O imposto devido recolhido sobre as operações no mercado de ações ou opções não é devolvido.

    2. Infelizmente não dá para explicar um assunto complexo, mercado de opções, por aqui. Seria necessário um vídeo de aprendizado a respeito ou principalmente um curso.

    Grande abraço.

  55. Dalton Vieira disse:

    Olá Marlon,

    O único comento que você vai informar a receita o resultado de cada mês é na declaração anual. Durante o ano você apenas fará os cálculos por conta própria e recolherá o imposto quando necessário.

    A Receita já sabe se você deve ou não recolher através do imposto retido na fonte, é o chamado rastreador para saber se você está o não sonegando.

    Grande abraço.

  56. Vitor Moraes Ribeiro disse:

    Boa dia Dalton, sempre acompanho seus vídeos no site no no investemania.
    Estou com uma duvida tremenda e ai vai.

    1. No mês de março tive 50 reais de prejuízo em operações day trade. Era necessário declarar isso já que não tive nenhuma operação com lucro. Se sim como faço ?

    2. No mês de maio já acumulo 300 reais de lucro em day trade. Posso abater o prejuízo de março ? Quando recolho o DARF 31/05/2013 ou 30/06/2013 ?

    Obrigado pela atenção

  57. Dalton Vieira disse:

    Olá Vitor,

    1. Você precisará registrar o resultado do mês de março na próxima declaração anual (IRPF 2014).

    2. Você poderá abater os R$50,00 no lucro obtido em operações de daytrade nos meses seguintes. O recolhimento do imposto apurado em maio poderá ser pago até o último dia útil do mês seguinte (junho).

    Grande abraço.

  58. Renato disse:

    Boa tarde Dalton, o valor dos prejuízos podem ser compensados mesmo com vendas abaixo de vinte mil?
    Abraço, Renato

  59. Dalton Vieira disse:

    Olá Renato,

    Não há necessidade de compensar os prejuízos quando o somatório das vendas, operações normais, não ultrapassar os R$20 mil. Isto porque o lucro obtido nesta situação já é isento de recolhimento.

    Desta forma, você compensará os prejuízos quando o volume de vendas for superior a R$20 mil e tiver ocorrido ganho de capital (lucro).

    Obs.: Para operações de daytrade sempre será necessário recolher o imposto quando houver ganho de capital ao final de cada mês.

    Grande abraço.

  60. Fabio Tezoto disse:

    Boa Tarde Dalton,

    Em relação a resposta acima, se realizei apenas prejuízo em operação menor do que 20mil, daí eu posso compensar este prejuízo, não é isso?

    Excelente canal!!

  61. Dalton Vieira disse:

    Correto Fabio. Obrigado por prestigiar o conteúdo do site.

    Grande abraço.

  62. Vitor Moraes Ribeiro disse:

    Dalton,

    Recebi o extrato do banco das operações day trade e surgiu duas dúvidas.

    1° A data de referencia é a da operação ou da liquidação ?

    2° Quando ocorre o prejuízo exemplo: -260 contando as taxas (corretagem e emolumentos) -220 descontando as taxas. Qual valor devo abater dos lucros do mês referente ? -260 ou -220 ? Obrigado.

  63. Tininha disse:

    Boa tarde, Dalton

    Um amigo fez aplicações na Bolsa no ano de 2009 mas não declarou pensando que fosse isento (tinha mais de 75 anos). A corretora fez a declaração dos seguintes rendimentos brutos com respectivos impostos retidos:
    - mar – 30.493,00 – 1,49
    - abr – 37.960,00 – 1,88
    - jun – 23.924,00 – 1,18
    Acontece que ele me disse que nunca aplicou valores como estes porque não os tem. Agora descobriu estas informações porque seu CPF ficou pendente.
    No caso específico, como seria calculado o IR devido? Ele tomou informações e a corretora fechou em 15 de dezembro de 2009.
    Muito obrigada.

  64. Dalton Vieira disse:

    Olá Tininha,

    Neste caso, recomendo entrar em contato com o Obudsman da Bolsa (BM&FBovesa).

    Grande abraço.

  65. Dalton Vieira disse:

    Olá Vitor,

    1. Já vi divergências neste caso. A Bolsa diz que é a data da operação e a Receita da liquidação. Ou seja, uma operação realizada no final do mês pode ser contabilizada somente no mês seguinte, caso a liquidação (D+3) ocorra no mês diferente da operação. Ao meu ver o mais importante é realizar o cálculo e o recolhimento corretamente. A Receita não deverá implicar com isso.

    2. O valor que leva em consideração as taxas (-260).

    Grande abraço.

  66. Rodrigo disse:

    Dalton, bom dia

    Tive no mes de maio vendas de R$19mil com prejuizo de R$2mil e no mes de julho vendi R$30mil com lucro de R$1,5mil. Posso compensar este lucro com o prejuizo de maio, mesmo este sendo com vendas abaixo de R$20mil?

    Muito Obrigado

  67. Dalton Vieira disse:

    Olá Rodrigo, bom dia!

    Sim, você pode compensar o prejuízo de maio no lucro de julho. Restará ainda R$500,00 para ser compensado nos próximos lucros que necessitarão recolhimento de imposto.

    Grande abraço.

  68. Fábio disse:

    Boa noite, Dalton.

    Tendo uma carteira bastante movimentada, eu sempre contabilizei vendas normais/comuns pela apuração geral do mês, considerando o total geral de compras e vendas de ações e opções para apuração do lucro/prejuízo! Isso é o correto ou será que teria que apurar individualmente, pelo preço de compra e de venda de cada ação/opção, individualmente, para verificar o lucro/prejuízo?

    Grande abraço!

  69. Dalton Vieira disse:

    Olá Fábio,

    É interessante ter o cálculo separado para saber quais foram os custos operacionais das operações (corretagem, emolumentos, imposto retido na fonte, etc), visando depois deduzir do resultado bruto das operações e com isso obter o valor líquido a ser calculado o imposto a recolher.

    Grande abraço.

  70. Clovis Ferreira Filho disse:

    Estou precisando fazer a declaração anual de 2012 ,onde posso obter informações . Grato abraços .

  71. Dalton Vieira disse:

    Olá Clovis,

    Aqui no site ensinamos a como realizar o cálculo e recolhimento mensal do imposto de renda no mercado de ações. Para declaração anual do imposto há alguns tutoriais disponíveis na internet, como este aqui.

    Grande abraço.

  72. Moisés disse:

    Prezado Dalton,
    Bom dia!

    O conteúdo de vosso site é extraordinário! Tem me ajudado bastante. Parabéns.

    Minha dúvida é a seguinte:

    Imaginando uma situação onde eu tenha um volume mensal abaixo dos 20 mil durante os dez primeiros meses do ano, mas nos dois últimos meses esse volume cresça absurdamente e na média dos doze meses meu volume de vendas tenha sido maior que 20 mil. Como fica em relação aos lucros/prejuízos dos meses que as vendas foram abaixo dos 20 mil?

    Att,
    Moisés

  73. Dalton Vieira disse:

    Olá Moisés,

    Cada mês é independente do outro, exceto na questão da compensação de perdas. Você recolherá imposto nos meses que houver lucro e o volume de vendas for superior a R$20 mil, não importa se foi muito alto e o se nos meses anteriores o volume foi abaixo do “teto”.

    Muito obrigado por prestigiar o conteúdo do site.

    Grande abraço.

  74. José Tarcisio Pinto disse:

    Boa tarde Dalton.
    Parabéns polo conteúdo do site.
    As despesas de IR de compra e de venda são consideradas para a obtenção do lucro líquido?

  75. Dalton Vieira disse:

    Olá José Tarcisio,

    Sim, você abate as despesas (custos operacionais) do lucro bruto para obter o líquido.

    Obrigado por prestigiar o conteúdo do site. Grande abraço!

  76. PINHO disse:

    Prezado Dalton, tenho a seguinte dúvida: comprei ações da Vale5 em vários meses diferentes, utilizando-se duas corretores. Em um determinado mês, vendi parte das ações de uma só corretora, cujo valor líquido rendeu-me R$ 25 mil com lucro. Como faço para calcular o IR? Como ficam as ações da Vale5 custodiadas na outra corretora que não foram negociadas?

  77. Dalton Vieira disse:

    Olá Pinho,

    Você fará o cálculo sobre o montante vendido junto a corretora X, visando obter o ganho de capital na operação. Lembre-se de deduzir deste os custos operacionais (corretagem e emolumentos). Após obter o lucro líquido, aplique a alíquota de 15% (operações normais) e na sequência deduza do valor obtido o IR retido na fonte. Com isso você terá o valor a ser recolhido. As ações existentes da VALE5 na corretora Y não entrarão nos cálculos.

    Grande abraço.

  78. Pedro disse:

    Olá Dalton,

    Parabéns pela iniciativa.

    Minha duvida: em abril de 2013 comprei acoes da empresa X, a R$ 17,00. Vendi em agosto 2013 uma parte que ficou na faixa de isenção do IR abaixo de R$ 20000,00 por este motivo esqueci de declarar. Tudo bem. Agora em agosto de 2014 vendi outra parte das acoes a R$ 35,00, o valor que recebi não esta isento. Mas o calculo do lucro para o IR em 2014 deve considerar o valor da compra R$ 17,00 do inicio de 2013 ou tenho que calcular pelo valor em 31 de dezembro de 2013? Ou pelo valor do fechamento no dia anterior a venda?

  79. Dalton Vieira disse:

    Olá Pedro,

    Deve considerar o valor da compra (17,00).

    Obrigado pelas congratulações. Grande abraço!

  80. Pedro disse:

    Dalton,

    Sabendo que recebi restituição de IR agora em agosto de 2014 referente ao período de 2013, e que nesta declaração não informei os dividendos nem as vendas de acoes (mesmo abaixo de R$ 20.000,00) daquele ano. Devo fazer a retificadora ou não da mais pra fazer ?

  81. Dalton Vieira disse:

    Olá Pedro,

    Acredito que não há necessidade de realizar tal procedimento.

    Grande abraço.

  82. diogenes disse:

    Investi no passado e fiquei com cpf irregular por não declarar IR, tive lucro e depois perdi tudo em mico e parei de investir.
    Fala se que o prejuízo pode abater no lucro futuro, pode fazer o inverso, fazendo a declaração anual. pois ganhei 40.000 e depois perdi 50.000 no mesmo ano.

  83. Dalton Vieira disse:

    Olá Diogenes,

    Infelizmente não. O compensação de perdas é realizadas sobre lucros posteriores. Lembrando que o recolhimento do imposto é realizado mensalmente em caso de lucro.

    Grande abraço.

  84. Eri disse:

    Olá. Quando faço várias operações no mesmo dia, a corretora não detalha qual foi o valor de corretagem por operação. Apenas informa a corretagem total.
    Na hora de calcular o lucro, como faço a distribuição dos valores de custo?
    Ex: compra 200 ações a R$5 = R$ 1000
    compra 100 ações a R$3 = R$ 300
    compra 500 ações a R$5 = R$ 2500
    Corretagem = 18,00
    ISS = 0,90

    E agora? como fazer o rateio da corretagem e ISS?
    Abraço

  85. Dalton Vieira disse:

    Olá Eri,

    Você pode calcular o valor proporcional dos custos sobre o valor total de cada operação. No entanto, o mais recomendável é você ter o seu controle próprio de cada operação, visando futuramente efetuar corretamente o cálculo para recolhimento do imposto. Você pode criar uma planilha para este fim ou simplesmente usar um programa como o IRPF Bolsa.

    Grande abraço.

  86. Renato Teixeira disse:

    Ao fazer a leitura da “Instrução Normativa RFB nº 1.022, de 5 de abril de 2010”, observando respostas a dúvidas “espalhadas” pela internet, e priorizando as operações mais comuns (mercado à vista de ações e opções, e day-trades de ações e opções), cheguei às seguintes constatações:
    1) Entenda-se aqui como “mercado à vista”, tanto de ações como de opções, àquelas operações que não foram day-trades;
    2) a Receita Federal aceita sem ressalvas que a data a ser considerada na contabilização seja a de operação, mas o mais correto seria adotar a data de liquidação financeira;
    3) O limite de isenção de R$ 20.000,00 refere-se exclusivamente à soma das vendas mensais no “mercado à vista de ações”, não se incluindo aí as vendas no mercado à vista de opções, as operações de day-trade e outras citadas. O imposto é de 15% (Arts . 47 e 48);
    4) Não há isenção para mercado à vista de opções, ou seja, aquelas opções que não sejam day -trades. O imposto é de 15% (Art. 49);
    5) Poderá haver o “dedo duro” de 0,005% sobre os valores vendidos no mercado à vista de ações ou de opções (Art. 52);
    6) As perdas incorridas no mercado à vista, tanto de ações quanto de opções, poderão ser compensadas em ganhos nesses tipos de operações (e em outros citados, exclusive em day-trades) , no próprio mês ou em meses seguintes, mesmo que em anos seguintes (Art. 53);
    7) Poderá haver o “dedo duro” de 1% em operações positivas de day-trades, sejam ações ou opções. O imposto é de 20% (Art. 54). As compensações citadas no item anterior só poderão ser feitas com outras operações day-trades. (Art. 54).
    Vocês concordam com os argumentos acima? Se não, por quê razões? Muito obrigado pela atenção.

  87. Dalton Vieira disse:

    Olá Renato,

    Muito obrigado por enriquecer ainda mais o artigo com o seu comentário. Concordo com os itens (argumentos) descritos por você. A única ressalva é em relação ao “dedo duro”, itens 5 e 7, mais especificamente na questão “Poderá haver…”. O correto seria “Haverá o IRF (Imposto Retido na Fonte)…”. O IRF é a forma que a receita tem para descobrir quem está sonegando ou não, por isso é usado o termo dedo duro.

    Grande abraço.

  88. Renato Teixeira disse:

    Caro Dalton,

    Nossa! Na verdade tô fazendo uma bagunça danada com conceitos. Fiz contato com uma operadora do Bradesco que me esclareceu uma coisa ou outra:

    1) Não existe “Mercado à Vista de ações ou de opções”. Existem “Mercado à Vista” e “Mercado de Opções”. Mercado à Vista refere-se exclusivamente a Ações das empresas.

    2) Como você mesmo concordou, não se somam vendas do Mercado à Vista com vendas do Mercado de Opções, para efeito de cálculo de isenção.

    3) Há isenção no Mercado à Vista para vendas no Mercado à Vista, no mês, até R$ 20mil.

    4) Não há isenção para o Mercado de Opções, assim como não há isenção para day-trades.

    5) O Bradesco “aciona” o dedo duro de 0,005% no Mercado à Vista quando a soma de vendas no Mercado à Vista ultrapassa os R$ 20mil.

    6) O Bradesco “aciona” o dedo duro de 1% para qualquer operação positiva de day-trade.

    7) Mas, pelo que entendi, o Bradesco NÃO aciona o dedo duro para operações no Mercado de Opções! Isso está certo? Não é completamente contraditório? Não é uma brecha à omissão de lançamentos no Mercado de Opções?

    Quanto ao “poderá haver”: é que observando minhas Notas de Corretagem, não observei o acionamento do dedo duro no Mercado à Vista. É que o Bradesco só o aciona se as vendas no mês ultrapassam os R$ 20mil, situação que evito para não perder um tempo absurdo calculando preço médio original, ponderado, de cada ação vendida no Mercado à Vista.

    PS: parabéns por seu site, Dalton. É excelente! Você redige com muita qualidade!

  89. Renato Teixeira disse:

    Retirado do site da Corretora Bradesco:

    Mercado de Opções – Ações/Derivativos

    Retenção Fonte (IRF): Haverá incidência do IRF à alíquota de 0,005% sobre o resultado positivo da soma algébrica dos prêmios pagos e recebido no mesmo dia. Fica dispensado da retenção quando o valor do imposto for igual ou inferior a R$ 1,00 no mês. O responsável pela retenção do IRF a instituição intermediadora que receber diretamente a ordem do cliente.

    Poderia me explicar? E a respeito do dedo duro nas operações com lucro no Mercado de Opções (compras e vendas de prêmios), não há mesmo?

  90. Samara disse:

    Olá Dalton,

    Controlo a carteira de ações de meu gestor. Ocorre em alguns meses que ele vendeu quantidades de títulos maiores que a compra, e quando vou buscar no passado a conta não zera. O pode ter acontecido?
    Aguardo Obg.

  91. Dalton Vieira disse:

    Olá Samara,

    Difícil dizer o que pode ter ocorrido. Seria interessante entrar em contato diretamente com o seu gestor para buscar esclarecimentos.

    Grande abraço.

  92. César disse:

    Dentro de um mesmo mês vendi:

    R$ 5.000 de ações X, com prejuízo de (-) R$ 400,00.
    R$ 4.000 de ações Y, com prejuízo de (-) R$ 300,00.
    R$ 3.000 de ações Z, com prejuízo de (-) R$ 200,00.
    R$ 7.500 de ações W, com lucro de (+) R$ 1.200,00.

    Total de vendas no mês: R$ 19.500,00.
    Vendas com prejuízo: (-) R$ 900,00.
    Vendas com lucro: (+) R$ 1.200,00.

    Sei que estou isento de pagar IR nesse mês, entretanto:
    a) Tenho um lucro isento de (+) R$ 300,00 e nenhum prejuízo a compensar; ou
    B) Tenho um lucro isento de (+) R$ 1.200,00 com um prejuízo a compensar nos próximos meses de (-) R$ 900,00?

    Obrigado!

  93. Dalton Vieira disse:

    Olá César, letra a).

    Grande abraço!

  94. Giovanne disse:

    Oi, Boa tarde!

    Comecei na bolsa em novembro de 2014.

    No mês de Novembro tive um Lucro de R$ 462,47
    No mês de Dezembro tive um Prejuízo R$ 2.467,95

    Ambas em operações abaixo de R$ 20.000,00.

    Perguntas:

    Devo lançar o mês de Novembro (Lucro) em “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” e o mês de Dezembro (Prejuizo) em em “Operações Comuns / Day-Trade” ?

  95. Dalton Vieira disse:

    Sim Giovanne. Grande abraço!

  96. Jerônimo disse:

    Há um prazo para a receita cobrar das pessoas os impostos não recolhidos nas operações em renda variável, ou seja, prescreve?

  97. Dalton Vieira disse:

    Olá Jerônimo,

    Até onde sei o prazo foi reduzido de 10 para 5 anos a partir de 2007.

    Grande abraço.

  98. Jeronimo disse:

    Como se aplica o imposto de renda em operações com opções?

    Pode fazer um vídeo ou poderia adiantar alguma coisa por aqui?

  99. Jeronimo disse:

    Observo que nas notas de corretagem aparece um campo que informa o IRRF sobre operações com base em $$$$ = 1,xx, 0,xx, etc.

    Se este for o valor do imposto na fonte, não entendo, pois fiz uma operação em que tive um lucro de 500 reais, o imposto na fonte não teria que ser de 5 reais?

    Quem é obrigado a recolher na fonte é a corretora, ok?

  100. Dalton Vieira disse:

    Olá Jeronimo,

    Não há necessidade de um vídeo, pois segue o mesmo padrão de tributação das ações. Alíquota de 15% para operações normais e 20% para daytrade. Sobre o ganho de capital desconta-se os custos operacionais (corretagem, emolumentos, taxa de liquidação, cobrança de ISS, etc).

    Grande abraço.

  101. Dalton Vieira disse:

    Olá Jeronimo,

    Há uma diferença da alíquota do IR Retido na Fonte para operações normais (0,005% sobre o valor das vendas) e daytrade (1% sobre o lucro líquido). Sim, a corretora é responsável pelo recolhimento na fonte.

    Grande abraço.

  102. Jeronimo disse:

    Obrigado, Dalton, mais uma pergunta por favor. Prejuízos com opções posso deduzir em ações e vice-versa, ou não?

  103. Jeronimo disse:

    As opções não tem isenção ok?

  104. Dalton Vieira disse:

    Correto, Jeronimo. Não há isenção.

    Grande abraço.

  105. Adauto disse:

    Dalton parabéns pelas explicações dadas nesta página.
    Tenho uma dúvida na qual não encontrei resposta com clareza nos questionamentos anteriores.
    Ex: Em Janeiro fiz uma operação abaixo de 20K que me gerou prejuízo de 1000.
    Em Março fiz uma operação de 30k que me gerou lucro 1500.
    Posso compensar o prejuízo de Janeiro na operação de Mar ço e pagar imposto apenas sobre 500?

  106. Dalton Vieira disse:

    Sim, Adauto. Você poderá compensar a perda de janeiro no lucro de março, desde que essas operações sejam da mesma categoria. Ou seja, você não pode compensar o prejuízo de uma operação normal sobre o lucro obtido em uma operação de daytrade.

    Muito obrigado pelas congratulações. Grande abraço.

  107. Hamilton disse:

    Excelente artigo. Obrigado. Estou com uma dúvida referente ao cálculo do custo médio da ação. O ISS sobre a corretagem (em algumas corretos também pis/cofins) e taxa de liquidação da corretora entram no cálculo do custo da corretagem para efeito do custo da ação? exemplo. taxa de corretagem em corretora X R$ 7,50 acrescidos a esse valor temos 9,65% de ISS, PIS e COFINS e 2,90 de taxa de liquidação pelo dia negociado.

  108. Luis Cláudio Fernandes disse:

    Caro Dalton,
    Tenho uma grande dúvida. Exemplo: Compro 200 vales a R$16,00, depois compro novamente 200 vales a R$15,30. Portanto a média dessas ações será:R$15,65 por ação.Caso venda 200 dessas ações a R$15,60, deverei pagar imposto, ou é considerado prejuízo, uma vez que vendi 200 abaixo da média? Obrigado!

  109. Dalton Vieira disse:

    Olá Hamilton,

    Sim, os custos mencionados entram no cálculo dos custos operacionais a serem abatidos do lucro bruto ou somados em caso de prejuízo.

    Grande abraço.

  110. Dalton Vieira disse:

    Olá Luis,

    Neste caso você não precisa pagar imposto considerando o valor médio ou o valor referente à primeira compra (R$16,00). Caso considere os 16,00 terá um prejuízo que poderá ser compensado sobre um possível lucro sobre a compra das outras 200,00 ações a 15,30.

    A outra opção é que você teve um prejuízo de 0,05 por ação em relação ao preço médio. Este poderá ser compensado através do possível lucro sobre o restante da compra a 15,65. Acredito que esta opção seja a mais simples.

    Grande abraço.

  111. Luiz Felipe disse:

    Prezado Dalton,

    Tenho 2 grandes dúvidas sobre day-trade. São 2 situações:
    Situação 1) Tive que vender 1100 ações PETR4 a $10,16, pois as opções que vendi foram exercidas. Com o dinheiro dessa venda, recomprei no mesmo dia 800 ações PETR4 por $13,19, sobrando um pouco de dinheiro, pois não deu para recomprar as 1100 ações. Tenho que pagar imposto sobre isso, uma vez que (1100 x $10,16) > (800 x $13,19)?
    Situação 2) Tive que vender 800 ações PETR4 a $14,00 e 100 ações PETR4 a $14,50, pois tive as 900 opções exercidas. Como não queria ficar sem as ações, acabei recomprando no mesmo dia por um preço melhor: recomprei 900 ações a $13,79 e depois comprei mais 100 ações a $13,77. Devo pagar imposto por essa operação, já que (800 x $14 + 100 x $14,50) > (900 x $13,79)?

    Obrigado pela ajuda!! Excelente o site!

  112. Dalton Vieira disse:

    Olá Luiz,

    1. Não. Basicamente foi uma operação de daytrade sobre 800 ações na ponta vendedora. Venda a 10,16 e recompra a 13,19, logo gerou prejuízo e não há necessidade de recolhimento.

    2. Sim, o resultado da operação foi positivo. 900 ações (venda) a um preço médio de 14,05 e recompra da mesma quantidade a 13,79 (12.650,00 – 12.411,00 – custos = lucro líquido). A última operação de 100 ações não será considerada um daytrade. Lembre-se de que o imposto é calculado sobre o resultado geral de cada mês sobre as operações normais e daytrade (cálculos separados), visando recolher o imposto no mês subsequente.

    Grande abraço.

  113. Jeronimo disse:

    Dalton,

    1. Em qualquer operação de day-trade, não importa se com ações ou opções, não há isenção de montante alienado, ou seja, foi day-trade, e teve lucro tenho que recolher imposto?

    2. Para o caso de opções também posso fazer a compensação de prejuízos?

    3. No caso de opções tenho também que levar em conta o mês todo, ou seja, se tive lucro na primeira operação, mas prejuízo na segunda, e sendo dentro do mês, o que conta é o apurado de todas as operações?

    Muito grato!

    Jeronimo.

  114. Dalton Vieira disse:

    Olá Jeronimo,

    1. Sim.

    2. Sim, desde que seja para o mesma categoria (daytrade ou normal).

    3. Sim, leva-se em consideração o apurado ao final de cada mês.

    Grande abraço.

  115. Jeronimo disse:

    Valeu, Dalton, obrigado pela paciência! Abraço!

  116. Thiago Gomes disse:

    Gostaria de saber se posso abater do meu lucro bruto mensal a taxa de custódia cobrada pela corretora mensalmente (no meu caso de R$ 7,30)??

  117. Dalton Vieira disse:

    Sim, Thiago. Custos operacionais podem ser deduzidos do lucro bruto.

    Grande abraço.

  118. paulo disse:

    olá Dalton, sou um grande admirador de seu trabalho e já fazem cerca de 5 anos que sempre assisto seus vídeos! depois de tomar enormes prejuízos nas ações ao longo de alguns anos e de ter tido problemas na receita por preenchimento incorreto dos dados estou me aprofundando no assunto e já estou acumulando um grande conhecimento no assunto. entretanto, me restam apenas algumas poucas dúvidas e gostaria muito mesmo de sua atenção para sana-las (se possível): 1 – Todo prejuízo é compensável ? independente se a soma em vendas no mês atingiu os 20.000,00

    obs: considere a sequencia dos meses a seguir….

    ex: janeiro, vendas totais 5.000,00, prejuízo de -2.000,00(op comum), preju de -500,00(d.trade)
    lanço estes 2.500,00 como preju no programa da receita?? (de forma separada por operação)

    ex2: fevereiro, vendas total 10.000 lucro 1.000(d.trade) prejuízo de -500(comum) neste caso pago o imposto sobre 500,00 (1000 de fev descontado os 500 de preju de janeiro) e lanço no programa da receita o preju de -500,00 na aba de fev – mercado a vista – ações ??(para ser compensado no futuro)

    e finalmente minha maior duvida:
    ex3: março, fiz 2 d.trade 1 perdi 1.000,00 em outro ganhei 2.000,00 (como não tenho mais nada a compensar,) apurado = R$ 1.000,00 o resultado e de 20% sobre os 1.000 = 200,00 de imposto a pagar!! porem, eu devo lançar os -1.000 de prejuízo no programa da receita mesmo já o tendo subtraído do lucro do 2º d.trade ??? ou só devo lançar prejuízo caso o apurado do mês seja negativo???? neste caso como o apurado de março foi de 1.000 e como se não houvesse prejuízo algum ???? estou totalmente confuso sobre este ultimo mês do exemplo!!!!

  119. Dalton Vieira disse:

    Fala Paulo, boa tarde.

    1. Sim, todo prejuízo obtido no decorrer de um mês pode ser compensado nos meses subsequentes.

    2. Você compensa os prejuízos dos meses anteriores para realizar o recolhimento do imposto, efetuado através de um DARF e pago até o último dia útil do mês seguinte ao que ocorreu ganho de capital. Na declaração anual você apenas lançará os resultados de cada mês, sem realizar compensações. Mais detalhes através do Blog do Investidor – artigo: http://www.blogdoinvestidor.com.br/investimentos/como-declarar-acoes-n o-imposto-de-renda/.

    3. Conforme comentado acima, o lançamento na declaração anual será do resultado de cada mês. No exemplo acima houve um ganho de capital sobre as operações de daytrade no mês (R$1.000,00). Esse será o valor a ser lançado. O cálculo do imposto a pagar é feito mensalmente, visando realizar o recolhimento via DARF no mês seguinte. Lembre-se de deduzir os custos operacionais antes de aplicar a alíquota do imposto.

    Grande abraço.

  120. Marco disse:

    Olá Dalton, parabéns pelo trabalho! Muito esclarecedor.

    Diante da resposta nº 1 acima e considerando Operações Comuns (Normais) com Ações:

    Resultado em 10/2015: -2.000,00 (vendas < 20k)
    Resultado em 11/2015: +2.000,00 (vendas < 20k)
    Resultado em 12/2015: +3.000,00 (vendas < 20k)

    Mesmo tendo lucro final de +3.000,00 ainda posso compensar -2.000,00 de prejuízo caso venha obter lucro após ter vendido mais de 20k em algum mês durante 2016?

    Obrigado!

  121. Dalton Vieira disse:

    Sim, Marco.

    Você poderá compensar o prejuízo de outubro/2015 em um próximo ganho de capital, cujo o volume de vendas no mês ultrapasse os 20K.

    Grande abraço.

  122. Vagner disse:

    Dalton,

    entre outubro e dezembro/2015 obtive R$10.000,00 em lucros e R$60.000,00 em prejuízos. Como procedo ? Não paguei IR até então por achar que meu prejuízo foi maior que meu lucro. Está correto ?

  123. Dalton Vieira disse:

    Olá Vagner,

    Para cálculo e recolhimento do imposto de renda é importante saber o resultado de cada mês, visando realizar os cálculos e se necessário recolhimento, via DARF, no mês subsequente. Caso tenha encerrado todos os meses no prejuízo não será necessário recolher imposto. Além disso, poderá compensar essa perda nos próximos meses lucrativos.

    Caso tenha algum mês fechou no positivo e somatório das vendas tiver sido superior a R$20.000,00, precisará calcular o imposto devido (com multa) e realizar o recolhimento.

    Para a declaração anual (IRPF2016) será necessário informar o resultado de cada mês, independente se todos os meses fecharam no vermelho.

    Grande abraço.

  124. Vagner disse:

    Dalton,

    agradeço seu rápido retorno. Uma última dúvida, se em janeiro tive um lucro de R$5.000,00 devo pagar o IR ou só volto a pagar o imposto quando obtiver R$60.000,00 de lucro e “zerar” o prejuízo ?

  125. valdir rocha disse:

    Dalton, sou apreciador de seu trabalho. Tenho uma dúvida que até hoje não consegui responder.

    1 – Tenho uma conta nova na corretora X (saldo zero) e outra na corretora Y com Vale a preço médio 40,00.

    2 – Segundo a nova legislação, se eu vender o papel da Y (40,00) e comprar na X (a 10,00, preço atual), não é day trade pois as operações foram feitas em corretoras diferentes.

    Agora vem a dúvida na contabilização:

    Terei que controlar o preço médio da vale por corretora ou lanço tudo na mesma ficha ? Exemplo:

    Corretora Y
    01/02/2016 venda 1 ação por 10
    - prejuízo a compensar 40 – 10 = 30
    - Preço médio dos papéis restantes = 40

    Corretora X
    01/02/2016 compra 1 ação 10
    - Preço médio dos papéis = 10
    ……………………………………………………
    Quando eu fizer uma nova venda da Y para a X, qual será o preço médio ?
    - 40 (preço médio da y) ou 25 (soma dos preços médios das duas (40+10/2))

    Agradeço antecipadamente.

  126. Dalton Vieira disse:

    Olá Vagner,

    Você voltará a recolher o imposto quando compensar todo o seu prejuízo anterior, conforme mencionado neste artigo.

    Grande abraço.

  127. Dalton Vieira disse:

    Fala Valdir,

    O ideal é você ter o controle independente do preço médio. Ou seja, na corretora X o preço médio será um e na outra corretora será outro preço médio. Isto dependerá das operações realizadas em cada uma delas. Da mesma forma que não é daytrade comprar o ativo XYZ na corretora A e vender o mesmo na corretora B, não faz sentido “juntar” os preços para fazer cálculo de imposto.

    Grande abraço.

  128. Renan disse:

    Bom dia,
    Suponhamos que eu invista R$10.000,00 em junho de 2015, e no dia 01 de janeiro de 2016 eu tenha em saldo R$ 5.000,00 caso eu tenho no dia 02 de fevereiro de 2016 eu consiga alcançar o valor de R$7.000,00, tenho que gerar uma darf referente aos 2000 de lucro em 2016? ou posso compensar com a perda do ano anterior?

  129. Dalton Vieira disse:

    Olá Renan, boa tarde.

    Infelizmente não consegui compreender bem o seu questionamento. De qualquer forma, o cálculo para saber o lucro ou prejuízo de cada vez só é feito em cima de operações encerradas. Caso o saldo tenha sido negativo das suas operações encerradas, por exemplo, no dois últimos meses de 2015, você poderá compensar essa perda nos lucros de 2016.

    Grande abraço.

  130. Luciana disse:

    Olá Dalton, tudo bem?
    Excelente trabalho, ajuda muito a sanar as dúvidas de quem está iniciando agora no mercado.
    Algumas dúvidas restaram:
    1. Todas as taxas cobradas (ISS, registro, liquidação, emolumentos, corretagem,etc) são contabilizadas para apuração do lucro e também do prejuízo?
    2. Operações no mini indice (day trade) com prejuízo de R$ 4.000,00 pode abater nos lucros do mercado de ações (day trade)?
    3. Li diversos artigos sobre a data a ser considerada para cálculo do IR, o correto, para a Receita seria a data de execução ou de liquidação?
    4. Se eu vendi R$ 15.000,00 em operações normais (swing trade) e R$ 8.000,00 em day trade, perco a isenção dos R$ 20.000,00 em operações normais (pois somando o total seria R$ 23.000,00 e devo recolher 15% de IR ou só 20% sobre o valor do day trade?

    Desculpe pelo excesso de perguntas!

    Desde já agradeço!

    Abraços,

    Luciana

  131. Murillo Lima disse:

    Dalton, boa tarde!

    Suponhamos que tenho um prejuízo x (op a vista) até fevereiro, em março, meu total de vendas (op a vista) foi inferior a R$ 20.000,00 com lucro de R$ 3.000,00.
    O valor do imposto deverá ser abatido do prejuízo a compensar?

  132. Dalton Vieira disse:

    Oi Luciana, bom dia.

    1. Sim, são contabilizados todos os custos operacionais.

    2. Sim, o fator importante é compensar perdas de day trade em lucros obtidos em operações da mesma espécie e na mesma instituição (corretora). Mais detalhes: http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/regulacao/tributacao/pessoa-fisica/ imposto-de-renda-day-trade/imposto-de-renda-day-trade.aspx?idioma=pt-b r.

    3. Já vi divergência entre a bolsa e receita neste sentido. Acredito que o mais importante é optar somente por uma delas (execução ou liquidação) para realizar o cálculo e recolhimento do imposto.

    4. Não. Você terá isenção nas operações normais (swing trade), pois o somatório das vendas não ultrapassou os R$20.000,00. Para day trade não há isenção, logo terá que realizar o cálculo (20%) e recolhimento, caso tenha ocorrido ganho de capital.

    Obrigado pelo elogio. Espero sempre vê-la por aqui e no meu canal do Youtube (http://bit.ly/1guyirt).

    Grande abraço.

  133. Dalton Vieira disse:

    Não, Murilo.

    Você compensará quando houver ganho de capital e somatório de vendas no mês superior a R$20.000,00.

    Grande abraço.

  134. Luciana disse:

    Muito obrigada Dalton!!!!!

  135. Luciana disse:

    Dalton, boa tarde!!!

    Só mais uma dúvida:

    Se tenho R$ 20,00 de IR retido na fonte de operações Day Trade mas no final do período não foi apurado lucro, posso abater este IR retido em operações DAYTRADE no valor a pagar de IR de operações SWINGTRADE?

    Obrigada pela ajuda!!!

    Abraços,

    Luciana

  136. Dalton Vieira disse:

    Oi Luciana, bom dia!

    Não pode compensar prejuízo ou custos operacionais de operações de day trade em operações normais (swing trade).

    Grande abraço.

  137. Fernando Jales disse:

    Dalton, bom dia!
    Continuando o assunto aí de Luciana, essa questão da data a considerar ainda está confuso pra mim.
    1) A minha corretora considera a data de liquidação para recolhimento do imposto retido na fonte. Se eu considerar a data de operação para apurar o imposto em um mês e a corretora informar no outro mês posso cair na malha fina?
    2) Considerando uma operação day-trade em 30/12/15, a corretora só vai recolher o imposto em 2016, o que acontece se eu considerar a data da operação dezembro e informar a receita?
    3) Uma operação de compra normal em 30/12/15 deve ser informada em bens e direitos no irrf 2016?
    4) Uma operação de venda em 30/12/2015 deve ter a operação apurada em dez/15 ou Jan/16? Tô sem saber se na declaração do saldo na conta da corretora em 31/12/15 eu considero a venda ou não tb.
    Sempre considerei a data da operação pra calcular os imposto do mês, mas somente esse ano percebi que a corretora recolhe os impostos na data da liquidação. Isso pode gerar uma divergência de informação, fazendo cair na malha fina, consequentemente atrasando minha restituição. Essa dúvida complica mais quando as operações ocorrem nos 03 últimos dias do mês de dezembro.
    Desde já agradeço pela atenção dispensada.

  138. Dalton Vieira disse:

    Oi Fernando, bom dia!

    1) Acredito que não. O mais importante é realizar o devido recolhimento do imposto quando for necessário, logicamente definindo seus cálculos pela data da execução (venda) ou da liquidação financeira. Eu prefiro a data da execução.

    2) A corretora não recolhe imposto. O imposto retido na fonte é gerado automaticamente ao efetuar as vendas, tem um valor muito baixo e serve como rastreador para a receita, visando identificar se o investidor está recolhendo o imposto devido.

    3) Sobre a declaração anual, recomendo ler este artigo: http://www.blogdoinvestidor.com.br/investimentos/como-declarar-acoes-n o-imposto-de-renda/.

    4) Como mencionei acima, a venda executada no dia 30/12/15 pra mim entrará no cálculo do imposto de dezembro/2015 para possível recolhimento de imposto até o último dia útil de janeiro/16.

    Continue fazendo os cálculos com base na data da execução, acredito que seja mais simples. Além disso, você continuará de forma legal junto a Receita Federal, visto que estará recolhendo devidamente o imposto quando for necessário.

    Grande abraço.

  139. Sumaia disse:

    Dalton,

    Sou uma grande admiradora de seu trabalho e gostaria de agradecê-lo pelas contribuições e auxílios sempre pertinentes.
    Preciso muito de seu auxílio em uma dúvida que tem me tirado o sono.

    Opero com o Home Broker do BB, e no meu extrato de declaração do IR aparece o seguinte:

    Em Outubro/2015, realizei Operações Daytrade com:
    - LUCRO líquido de R$ 1.520,00
    - IRRF de R$ 15,19
    - Prejuízo a Compensar de R$ 0
    - IRRF a Compensar de R$ 0 e
    - Imposto a pagar de R$ 288,81

    Em Novembro/2015, realizei Operações Daytrade com:
    - PREJUÍZO líquido de R$ 4.042,51
    - IRRF de R$ 6,71
    - Prejuízo a Compensar de R$ 4.042,50
    - IRRF a Compensar de R$ 6,71 e
    - Imposto a pagar de R$ 537,79

    Em Dezembro/2015, não realizei nenhum Daytrade e o extrato aparece como:
    - PREJUÍZO líquido de R$ 0
    - IRRF de R$ 0
    - Prejuízo a Compensar de R$ 4.042,50
    - IRRF a Compensar de R$ 6,71 e
    - Imposto a pagar de R$ 0

    Não paguei nenhuma DARF ainda. Minha dúvida é a seguinte, primeiro tive LUCRO com os daytrades e no mês seguinte tive PREJUÍZO.

    1.) Posso compensar esse prejuízo e não pagar nenhuma DARF? ou

    2.) Tenho que pagar a DARF do mês que tive lucro (R$ 288,81 acrescida dos juros/multa) e o prejuízo compensar futuramente?

    3.) Tenho que pagar as duas DARFS (R$ 288,81 + R$ 537,79 + juros/multa)?

    4.) O Imposto a pagar de Novembro/2015 de R$ 537,79 é acumulativo com o de Outubro ou só o do mês (pois como tive prejuízo em Novembro porque há o Imposto)?

    Por gentileza me auxilie.
    Obrigada,

    Sumaia

  140. Dalton Vieira disse:

    Oi Sumaia,

    1) O lucro líquido obtido em outubro deveria ter sido pago no mês de novembro/15. Agora você poderá pagar esse imposto com multa e juros. O programa da Receita já faz o cálculo automático (Sicalc).

    2) Só é necessário recolher imposto em caso de ganho de capital no mês. Como novembro/15 fechou no prejuízo, não há imposto a pagar. Esse prejuízo poderá ser compensado nos próximos meses, mesmo agora em 2016. Acredito que houve alguma falha no sistema do BB ao gerar esta informação.

    3) Somente do mês de outubro, conforme comentado no item 1.

    4) Conforme mencionado no item 2, não há imposto a pagar após o fechamento de novembro/15. Exceto, o imposto devido do mês de outubro/15.

    Muitíssimo obrigado por prestigiar o meu trabalho através do conteúdo aqui do site e youtube (http://bit.ly/1guyirt).

    Grande abraço.

  141. Thiago disse:

    Prezado Dalton,

    primeiramente, gostaria de te parabenizar pelo excelente trabalho realizado.

    Estou com a seguinte dúvida:

    Eu só realizo operações de daytrade e em 2015 tive um prejuízo acumulado de cerca de R$ 15.000,00.

    Neste ano de 2016 já estou positivo cerca de R$ 7.000,00 (R$ 1.000,00 em janeiro e R$ 6.000,00 em fevereiro).

    Minha dúvida é se eu posso compensar as perdas que eu tive nos daytrades do ano passado nas operações que tenho realizado neste ano.

    Agradeço por tudo.

  142. Dalton Vieira disse:

    Oi Thiago, bom dia!

    Sim, pode compensar as perdas do ano anterior. Parabéns pelos resultados neste ano!

    Muito obrigado pelas congratulações. Espero sempre vê-lo por aqui e no meu canal no Youtube (http://bit.ly/1guyirt).

    Grande abraço.

  143. Hamilton Faria Leckar disse:

    Muito bom! Claríssimo!
    Obrigado

  144. Hamilton Faria Leckar disse:

    Prezado Dalton,
    No caso de opções de ações, o procedimento é o mesmo?
    Abs
    Hamilton

  145. Dalton Vieira disse:

    Sim, Hamilton.

    Obrigado participação e elogio no comentário anterior.

    Grande abraço.

  146. Luciana disse:

    Olá Dalton, tudo bem?

    Tenho uma dúvida com relação ao IR de Opções, quando vendo uma opção vem constando na nota de corretagem o IR retido porém, o mês acabou e as opções que vendi são de exercícios Abril e Maio, ou seja, elas podem vir a ser exercidas ou eu posso vir a comprá-las novamente para zerar a operação. Como consta na nota de corretagem o IR retido eu teria de considerar a venda como 100% de lucro? Mas e se no mês seguinte eu comprar opções para zerar minha posição? Eu já teria pago um IR em cima de um lucro que não foi real.
    Como devo proceder?
    Posso considerá-la, para fins de IR, apenas quando a operação for finalizada (opção de compra executada ou recompra das opções sem que o direto de compra seja exercido)?

    Abraços,

    Luciana

  147. Dalton Vieira disse:

    Oi Luciana, bom dia!

    De maneira simples, você vai contabilizar lucro ou prejuízo em cima de operações encerradas (finalizadas), mesmo que parcialmente.

    Grande abraço.

  148. Carlos Henrique disse:

    Olá Dalton, boa tarde!
    Tenho R$ 30.000,00 investidos na Petrobrás (petr4) no mês de fevereiro do ano de 2016 (incluindo taxas e emolumentos). Ainda não vendi essas ações. Tenho pensado em operar day trade vendendo e recomprando.
    Como fica o recolhimento do imposto neste caso? No day trade não tenho dúvidas, virá na nota de corretagem.
    Minha dúvida é quanto ao recolhimento do imposto depois de vários day traders no caso de eu vender definitivamente essas ações. Qual o parâmetro para apurar o lucro? a compra original ou a última compra que se confunde com o último day trade de venda e compra? Obrigado.

  149. Dalton Vieira disse:

    Oi Carlos,

    A apuração (cálculo do imposto) de day trade é separada das operações normais (swing trade ou posição). Por exemplo, se você vendeu 2.000 ações e comprou 1.000 no dia, isto representará um day trade de 1.000 ações (venda e compra) e um encerramento ou redução de 1.000 ações da sua operação normal (posição de fevereiro/16).

    Grande abraço.

  150. Nilton Barros disse:

    Olá Dalton. Inicialmente parabéns pelo seu belo trabalho.

    Comecei a investir em ações há poucos dias e tenho uma dúvida quanto a apuração do lucro para fins de IR:

    Num determinado mês vendi 3 diferentes papéis:
    PTR – R$ 5 mil
    BB – R$ 10 mil
    OLX – R$ 10 mil

    É caso de recolher IR já que a venda de nenhum dos papéis superou os R$ 20 mil?

    Obrigado.

  151. Dalton Vieira disse:

    Oi Nilton,

    Sim, você terá que recolher imposto caso o resultado do mês tenha sido positivo (ganho de capital). Isto porque o somatório das suas vendas supera os R$20 mil.

    Agradeço os parabéns ao conteúdo do site. Espero sempre vê-la por aqui e no meu canal no youtube (http://bit.ly/1guyirt).

    Grande abraço.

  152. Nilton Barros disse:

    Dalton, obrigado pelo seu esclarecimento.

    Restou uma outra dúvida:
    Para determinar o ganho de capital devo calcular o valor da compra menos o valor da venda, então para determinar o valor da compra deverei incluir as despesas com taxas, etc ou apenas o valor puro da cotação de compra?

    Obrigado

  153. Dalton Vieira disse:

    Oi Nilton,

    Para obter o lucro líquido do mês ou de uma operação você tem que considerar os custos operacionais, conforme informado no post.

    Grande abraço.

  154. Luciana disse:

    Olá Dalton, tudo bem?

    No caso de operações em duas corretoras distintas, como devo proceder no pagamento da DARF? Posso compensar o prejuízo de uma na outra? Ou devo fazer controles separados e emitir duas DARF`s a cada mês?

    Abraços,

    Luciana

  155. Dalton Vieira disse:

    Olá Luciana, bom dia.

    O DARF pode ser único, pois está vinculado ao seu CPF. No entanto, os cálculos (custos, lucro ou prejuízo, isenção, imposto a recolher, perda a compensar) das operações realizadas em cada mês deve ser feito de forma separada.

    Grande abraço.

  156. Joao Lucas disse:

    Ola Dalton Vieira, tudo bem?

    Te acompanho a um tempo no site, acho muito interessante o estudo de mercado que tem feito.

    Acho que faltou abortar uma pequena situação:
    Se eu PERDER em JANEIRO 1.000,00 em DAYTRADE em AÇÕES.
    Resultado: -1.000,00 em Daytrade.

    No mes seguinte eu GANHO 2 mil reais operando DOLAR (mercado futuro).

    Qual a base de calculo do imposto? 2 mil ou 1 mil?

    Ou seja, os ganhos de DAYTRADE do mercado FUTURO podem ser compensados com o ganho em DAYTRADE do mercado de ações?

    Abraço grande.

  157. Dalton Vieira disse:

    Oi João, boa tarde.

    A base de cálculo será R$1.000,00. Ou seja, você pode compensar perdas do mercado de ações nos futuros ou vice-versa, desde que seja o mesmo tipo de operação (comum ou day trade).

    Grande abraço.

  158. Joao Lucas disse:

    Agradeço sua atenção novamente Dalton! abraço grande.

  159. Sumaia disse:

    Dalton,

    Obrigada por compartilhar tanto conhecimento conosco. Admiro muito seu trabalho e as dúvidas esclarecidas para muitos daqui tem me ajudado na hora de fazer a Declaração do IR.

    Grande abraço,

    Sumaia

  160. Dalton Vieira disse:

    É um grande prazer, Sumaia. Aproveite para se inscrever no meu canal no youtube (http://bit.ly/1guyirt). Grato!

    Grande abraço.

  161. LICÍNIO CARVALHO disse:

    Dalton, boa tarde!
    Gostaria de saber se sou obrigado a informar a RF quando tenho imposto a abater em função de prejuízo na venda de ações?

    Grato,

    Licínio

  162. Henrique disse:

    Olá Dalton,
    Fantástico seu trabalho.

    Uma dúvida, vendi todas minhas ações no pregão do dia 28/12/15. O valor total da venda foi de 5200 reais, ou seja, isento de tributação. Porém a liquidação foi somente em 04/01/16. Em que ano tenho que declarar a venda e dar baixa dessas ações em bens e direitos? Seria esta declaração deste ano ou somente a do ano que vem?

    Tive prejuízo com todas ações dessa venda, mas não quero compensar esse prejuízo no futuro pois não terei mais investimentos para abater esse prejuízo. Ainda assim tenho que declarar o prejuízo? É obrigatório?

    Muito obrigado!

  163. Eraldo disse:

    Olá Dalton,
    explique melhor a apuração do lucro.
    Vendi em 03/2016 ações que comprei a uns 2 anos atrás
    (bbse3).
    1- Na apuração do lucro vale o preço que vendi menos o preço de compra há dois anos atrás?
    2- Posso usar o valor líquido que entrou em minha conta menos o valor de compra (nº de ações X valor de compra) como base de cálculo do imposto?

    Obrigado.

  164. Dalton Vieira disse:

    Oi Licínio,

    Mensalmente, não. No entanto, você é obrigado a informar na declaração anual do imposto de renda, registrando o resultado de cada mês. Caso contrário você não poderá compensar as perdas no próximo ganho de capital.

    Grande abraço.

  165. Dalton Vieira disse:

    Oi Henrique,

    Você precisa declarar o prejuízo caso queira compensar o mesmo sobre um lucro futuro em ações. Caso contrário, não será preciso. Caso decida registrar, poderá usar o regime de competência, ou seja, levar em consideração a data da operação, não da sua liquidação. Neste caso, você lançaria na declaração anual de 2016.

    Obrigado por prestigiar o meu trabalho aqui no site e no meu canal no Youtube (http://bit.ly/1guyirt).

    Grande abraço.

  166. Dalton Vieira disse:

    Oi Eraldo,

    1. Sim, deduzindo ainda os custos operacionais.

    2. Sim, podendo ainda retirar as taxas de custódia mensais, se o for o caso.

    Grande abraço.

  167. Henrique disse:

    Oi Dalton,
    Muito obrigado pela resposta. O seu site é um dos mais completos neste assunto. Obrigado pelo seu tempo.

    Somente para ter certeza que eu entendi 100%. Eu não vou declarar o prejuízo, então nesse caso, na aba de bens e direitos, eu tenho que zerar estas ações na declaração de IR deste ano ou na do ano que vem? Nesse caso, que o pregão foi 28/12 e a liquidação 04/01, em qual declaração devo dar baixa essas ações?

    Obrigado uma vez mas.

  168. Dalton Vieira disse:

    Oi Henrique,

    Você pode zerar na declaração deste ano, levando-se em consideração o regime de competência (venda das ações no dia 28/12).

    Grande abraço.

  169. Hamilton Leckar disse:

    Prezado Dalton,
    Muito obrigado pela resposta à minha dúvida anterior. A nova dúvida é a seguinte: Eu devia ter recolhido em outubro de 2015, 20% do lucro de 200 reais (40 reais) do lucro que eu obtive em outubro de 2015 com opções sobre ações e não o fiz, como eu procedo agora para ficar em dia com a Receita Federal?
    Grande abração,
    Hamilton

  170. Dalton Vieira disse:

    Oi Hamilton,

    Você precisará instalar o Sicalc da Receita Federal no seu computador e inserir as informações para gerar o DARF (período: 10/2015). O programa automaticamente informará o valor com a multa e juros do período, bem como a nova data de vencimento para efetuar o recolhimento.

    Grande abraço.

  171. Hamilton Leckar disse:

    Valeu Dalton,
    Mais uma vez obrigado!
    Abração
    Hamilton

  172. Henrique disse:

    Olá Dalton,

    Obrigado! Continue esse ótimo trabalho.

    Abraço

  173. Janaina disse:

    Oi Dalton

    Pergunta: É necessario declarar o prejuízo mensalmente para poder compensa-lo em um lucro futuro sobre ações?
    Se sim de que forma isso é feito?
    Desde já obrigada

  174. Dalton Vieira disse:

    Olá Janaina,

    Não é preciso. Será necessário fazer isso apenas na declaração anual, informando o resultado de cada mês do ano anterior.

    Grande abraço.

  175. LUIS GUSTAVO MARQUES disse:

    Dalton, parabens pela inciciativa. Muito bom o site, principalmente por conteúdo tão abrangente e ainda assim gratuito. Minha duvida é a seguinte: a retenção dos 0,005% em operações normais começa a acorrer apenas após o limite de isenção de 20 mil ser extrapolado ou a retenção ocorre em todas as ordens de venda executadas, para posterior dedução? Ex: vendi 15 mil Petr4. Não houve retenção dos 0,005% em meu extrato. Vendi mais 10 mil Vale5. Ultrapassou o limite de isenção. Haverá uma única retenção de 0,005% sobre o total das vendas, no caso 25 mil, ou a corretora ja reteve sobre a primeira venda mesmo sendo inicialmente apenas 10 mi?

  176. Dalton Vieira disse:

    Oi Luis, bom dia.

    É para ocorrer em todas as ordens de venda executadas.

    Grande abraço.

  177. ivan carlos disse:

    ola dalton em açoes qd vc compra duas açoes diferentes e somado o valor de venda de uma açao subtraindo menos a outra açao ae e assim que vc sabera o lucro

  178. Dalton Vieira disse:

    Oi Ivan, bom dia.

    Você saberá o resultado final do mês ao calcular o saldo final das posições encerradas, independente se foram 2 ou mais ações envolvidas em suas operações.

    Grande abraço.

  179. Alê disse:

    Boa tarde Dalton, poderia me ajudar??? Operei daytrade mini contratos num determinado mês. Meu lucro bruto no mês foi R$880,00. Descontando os emolumentos e taxa de corretagem ficou R$751,30. Deste valor foi calculado o IR retido na fonte, que deu R$7,51, resultando num lucro de 743,79. Deste valor foi subtraído o ISS de R$4,50. Devo calcular, para gerar a DARF, 20% de 751,30, que daria R$150,26, e desse valor subtrair apenas R$7,51? Ou subtrair 12,01 (7,51+4,50)?????

  180. Alê disse:

    Outra coisa, Dalton! Ainda em relação a mini contratos. Supondo que operei dois dias num mês. Em um dia tive lucro de R$100,00. No outro tive prejuízo de R$50,00 mas se for considerar a corretagem e emolumentos o prejuízo seria maior, de R$70,00, por exemplo. Para o cálculo do imposto de renda devo considerar um lucro de R$50,00 ou um lucro de R$30,00????

  181. Dalton Vieira disse:

    Oi Alê, boa noite.

    O IR retido na fonte só é deduzido após aplicar a alíquota do imposto. Então ficaria assim, do valor 751,30 você abate ainda o ISS (4,50). Após isso aplica a alíquota do imposto (20% * 746,80) e do valor gerado (149,36) deduzirá o imposto retido na fonte (7,51). No final você terá 141,85 para recolher via DARF.

    Grande abraço.

  182. Dalton Vieira disse:

    Respondendo seu último comentário…

    De maneira simples você deverá considerar o ganho de capital obtido no mês ((lucros – prejuízos – custos operacionais) * alíquota do imposto) – IR retido na fonte.

    Grande abraço.

  183. Alê disse:

    Muito obrigado, Dalton!!!!! Agora as coisas ficaram claras pra mim. Valeu!

  184. Dalton Vieira disse:

    Prazer, Alê. Espero sempre vê-lo por aqui e no meu canal no youtube (http://bit.ly/1guyirt).

    Grande abraço.

  185. Jerônimo disse:

    posso deduzir o lucro de míni c o preju de ações?

  186. Dalton Vieira disse:

    Oi Jerônimo,

    Pode, desde que as operações sejam da mesma espécie. Ou seja, prejuízo com day trade no mini índice pode descontado do lucro obtido com day trade em ações. O mesmo para as operações normais (posição; swing trade).

    Grande abraço.

  187. Matheus disse:

    Olá Dalton!

    Primeiramente dou os parabéns pela didática do conteúdo do site!

    Tenho uma dúvida a respeito de operações day trade. Obtive um lucro, seguido de prejuízo no mesmo mês, sendo que no fim das contas o resultado foi negativo. Eu preciso declarar imposto sobre as operações separadamente ou não declaro porque tive prejuízo em day trade no mês?

  188. Dalton Vieira disse:

    Oi Matheus, boa tarde.

    Não será preciso recolher o imposto referente ao seu resultado negativo no mês com as operações de day trade. Este resultado será registrado apenas na declaração anual do imposto de renda. Além disso, este prejuízo poderá ser deduzido nos lucros dos próximos meses obtidos em operações da mesma espécie (day trade).

    Grande abraço.

  189. Rafael disse:

    Olá Dalton,

    Conforme sua resposta anterior,o prejuízo de um mês pode ser abatido ao longo do ano? Exemplo: prejuizo de 1000 e sair abatendo por exemplo nos proximos 5 meses caso o lucro seja de 200 por mês?
    Outra questão é quando a pessoa usa duas corretoras. Pode-se calcular e juntar os valores em um unico DARF? Respeitando os tipos de operações?

  190. Dalton Vieira disse:

    Oi Rafael, bom dia.

    1. Sim, pode ir compensando um prejuízo maior em um mês sobre o ganho de capital dos próximos meses.

    2. O cálculo é feito separadamente, mas o recolhimento pode ser feito através de um único DARF.

    Grande abraço.

  191. Wagner disse:

    Olá Dalton,
    Tenho uma dúvida primária, prejuízo em daytrade em mini-indice ou mini-dolar pode ser compensado em daytrade de ações?
    Agradeço antecipadamente.

  192. Luiz disse:

    Tenho ex: 10 mil na conta da corretora ( Tudo Day Trade )

    Dia 5 – Comprei 10 mil vendi a 18 mil

    Dia 8 – Comprei 10 mil vendi a 18 mil

    Dia 19 – Comprei 10 mil vendi a 18 mil

    1 – Como fica ?

    2 – Caso tenho prejuízo abaixo de 20 mil, posso compensar depois com venda acima de 20 mil ?

    Obrigado !

  193. Dalton Vieira disse:

    Oi Luiz,

    Pelo exemplo você teve lucro de 24 mil no mês. Deste valor teria que deduzir os custos operacionais e prejuízo em day trade dos meses anteriores (mesmo que volume das vendas tenha sido inferior a 20mil). Após isso se o resultado final foi positivo, aplicar alíquota de 20% e depois deduzir o imposto retido na fonte para ter o valor final do imposto a recolher via DARF.

    Grande abraço.

  194. Luiz disse:

    Vamos ver se eu entendi

    Ex: Swing Trade

    Comprei 10 mil vendi a 18 mil depois de 2 dias ( não pago imposto pq não foi acima de 20 mil )

    Depois volto a comprar 10 mil e vendo a 18 mil após 2 dias

    Agora terei que pagar imposto de 15% pq deu 36 mil de venda no mês

    Obrigado !

  195. Dalton Vieira disse:

    Correto, Luiz. Grande abraço!

  196. Lucas S Tavares disse:

    Dalton, se houver vendas acima de R$25K, porém eu tiver prejuizo no somatório do mês. Mesmo assim o imposto retido é cobrado?

  197. Robson disse:

    Boa noite Dalton, fiz as seguintes compras e vendas:

    16/05 VALE PNA N1 FRACIONARIA 50 AÇÕES POR 13,12
    08/06 VENDI POR 13,15
    OBtendo um lucro de R$ 1,50×20%=0,03 como esse valor e abaixo de R$ 10,00 não pago certo.

    30/05 cyre3 comprei 100 por 9,90
    08/06 vendi por 10,75
    Obtendo lucro de R$ 85,00×20%=17-1%=16,15 pago DARF?

    A minha operadora informar que:
    IRRF Day-trade: Base R$ – 12,19 Projeção, não entendi esse calculo.

    Você pode me ajudar?

  198. Dalton Vieira disse:

    Oi Lucas, bom dia!

    Sim. O imposto retido na fonte é cobrado automaticamente. O mesmo poderá ser deduzido nos lucros dos meses seguintes após aplicar a alíquota do imposto.

    Grande abraço.

  199. Dalton Vieira disse:

    Oi Robson,

    Para as operações normais você tem uma isenção de R$20.000,00. Ou seja, se o somatório das suas vendas no mês não ultrapassar este valor, não há necessidade de recolher imposto de renda mesmo se houver lucro.

    Operações de day trade não tem a isenção comentada acima. Logo, se houver ganho de capital no mês para este tipo de operação será necessário recolher imposto – alíquota de 20% sobre o lucro líquido.

    Grande abraço.

  200. paulo soares disse:

    Dalton,
    Preciso de uma ajuda para o seguinte fato: tenho, de anos anteriores, saldo em “Resultados – Prejuízos a Compensar, e tive uma operação acima de R$ 20.000,00 com lucro. Apesar do lucro que tive nessa operação ainda restou um saldo em “Prejuízos a Compensar”,e a dúvida é de como e onde devo registrar este fato no Imposto de Renda, em que item(ns), se devo lançar o valor que abati do Prejuízo a Compensar (e em que item). Não encontro no site da Receita Federal nenhuma orientação. Grato pela ajuda.

  201. Dalton Vieira disse:

    Oi Paulo,

    Você registrará os resultados de cada mês de um determinado ano na declaração do imposto do ano seguinte. Durante o ano apenas terá que ter esse controle para saber os lucros, prejuízos de cada mês, visando realizar a compensação das perdas, o cálculo do imposto e posterior recolhimento quando for necessário.

    Grande abraço.

  202. Joao Lucas disse:

    Dalton, primeiramente, tenho que expressar minha satisfação com o seu site. Indico a todos. Você é um cara muito atencioso e sabe muito sobre o assunto. Meus parabéns.

    Agora vem minha segunda dúvida: quanto a compensação de perdas. Se perdeu em daytrade em julho 2014 por exemplo, pode compensar com os ganhos de daytrade em fevereiro 2015? Ou seja, a pergunta propriamente dito é: a compensação pode ser de anos anteriores? A instrução 1.022 permitia isso. Mas foi revogada, dai não sei mais. rsrs

    Muito obrigado.

  203. Dalton Vieira disse:

    Oi Joao Lucas, bom dia!

    Sim, é possível fazer a compensação das perdas de anos anteriores, desde ela seja lançada na declaração anual do imposto de renda.

    Muitíssimo obrigado por prestigiar o conteúdo do site e recomendá-lo aos seus amigos. É uma honra vê-lo por aqui diariamente.

    Grande abraço.

  204. Rodrigo disse:

    Venda acima de 20 mil e prejuizo é cobrado mesmo assim o imposto retido na fonte em cima do lucro líquido ?
    Obrigado !

  205. Rodrigo disse:

    1% em cima de que lucro se teve prejuizo ?

  206. Rodrigo disse:

    Ah ta entendi!
    300 -1,20 já está deduzindo, como não teve lucro fica -1,20 para compensar

    Mesmo caso para day trade !

  207. Cesar disse:

    Qual é melhor, compensar valor do prejuizo no mês seguinte ou calcular imposto do prejuizo e deduzir no imposto do mês seguinte ?

  208. Cesar disse:

    Mais uma pergunta, se comprei 30 mil e vendi a 24 mil, prejuizo de 6 mil
    Emolumentos 13,50
    Corretagem 10,20 com iss
    Retido na fonte é cobrado automaticamente em cima do 6 mil ?

  209. Cesar disse:

    Completando a pergunta é Day Trade exemplo acima

  210. Dalton Vieira disse:

    Oi Rodrigo,

    Imposto retido na fonte (IRRF) é cobrado em cima da vendas. Caso tenha prejuízo no mês você poderá compensar IRRF após aplicar a alíquota do imposto sobre o ganho de capital dos meses seguintes.

    Grande abraço.

  211. Rodrigo disse:

    Fiquei em dúvida na pergunta do Cesar, sendo que no exemplo seu de Day trade da GBBR4 o retido foi em cima do lucro, pois se tem prejuizo no Day trade é cobrado em cima do que ?

  212. Vinicius disse:

    Bom dia.
    Eu gostaria de saber como ficam as declarações de imposto de renda para posições vendidas.
    Por exemplo, eu comprei e vendi ações de PETR4 no valor de R$15.000,00 com lucro de R$1.000,00 no mês de agosto/16.
    Neste mesmo mês eu apenas aluguei e vendi ações de VALE5 no valor de R$10.000,00, mas ainda não recomprei e devolvi as ações de VALE5.

    Se contabilizarmos o mês de agosto/16, eu tenho:
    - Compra/Venda PETR4 R$15.000,00
    - Aluguel/Venda VALE5 R$10.000,00
    Total de R$25.000,00 de venda para o mês de agosto/16.

    O que preciso fazer neste caso?
    Obrigado.

  213. Dalton Vieira disse:

    Oi Cesar, bom dia.

    A forma correta é compensar o prejuízo no ganho de capital dos meses seguintes para o mesmo tipo de operação. Não se calcula imposto em cima de resultado negativo no mês.

    Grande abraço.

  214. Dalton Vieira disse:

    Oi Cesar,

    O imposto retido na fonte é cobrado no momento da venda, levando-se em consideração do valor da venda (no seu exemplo os 24 mil). O que acabei de mencionar é para operações de swing trade.

    Em caso de day trade o imposto retido na fonte é cobrado sobre o ganho capital auferido na operação. Como no seu exemplo houve prejuízo, não haverá imposto retido (será 0,00).

    Grande abraço.

  215. Dalton Vieira disse:

    Oi Rodrigo,

    Quando a operação é de day trade só haverá imposto retido na fonte se houver ganho de capital. Caso contrário, não haverá o IRRF.

    Grande abraço.

  216. Dalton Vieira disse:

    Oi Vinicius, bom dia.

    O cálculo do imposto deverá ocorrer para posições encerradas. Neste caso a única operação encerrada foi da PETR4 com ganho de R$1.000,00. Como o somatório da venda foi inferior a R$20.000,00, não haverá necessidade de recolher imposto. Isto é, caso não tenha sido operação de day trade.

    Grande abraço.

  217. Walter disse:

    Boa tarde,

    Em relação a OPÇÕES como faço para realizar os cálculos para pagar o imposto?

    E não paguei os impostos dos meses passados, desde Fevereiro/2016 como faço?

  218. Cesar disse:

    Então seria assim:

    Se caso tiver prejuizo no Day tarde não cobra imposto retido na fonte.

    Agora no Swing Trade se caso for acima de 20 mil e tiver prejuizo, vão cobrar o imposto retido na fonte ( total da venda ) e tenho que compensar com mês seguinte se estiver lucro e calcular depois o 15%

  219. Janina disse:

    swing trade mesmo se compro a 20 mil e a venda for 20 mil ou abaixo de 20 mil será cobrado retido na fonte ?

  220. Dalton Vieira disse:

    Oi Walter, bom dia.

    Segue a mesma metodologia de cálculo das ações. Sobre o imposto atrasado, você pode usar o programa da receita chamado Sicalc para calcular a multa e juros devido do período.

    Grande abraço.

  221. Dalton Vieira disse:

    Oi Cesar,

    Correto em relação ao day trade. Sobre o swing trade cobrará imposto retido na fonte sobre as ordens de venda, independente se é abaixo ou acima dos 20 mil.

    Grande abraço.

  222. Dalton Vieira disse:

    Oi Janina,

    Sim. Depois você poderá compensar este valor após aplicar alíquota do imposto sobre o ganho de capital obtido no mês.

    Grande abraço.

  223. sergio da f a guimarães disse:

    Olá Dalton. minha dúvida é só sobre os 0,005% de irrf em operações normais, já que todas as notas de corretagem nas operações de venda o valor que consta irrf s/operações, base 0,00 valor 0,00, não existindo retençâo

  224. sergio da f a guimarães disse:

    Dalton fui informado pela corretora que a retenção de 0,005%, só ocorre quando no dia ou nas somas das vendas no mês o valor ultrapassar 20.000 reais, caso contrário não há retenção. Aguardo seu comentário,obrigado.

  225. Dalton Vieira disse:

    Oi Sergio, bom dia.

    Siga o que sua corretora informou, mas realizando seu próprio controle para ver se bate a informação no fechamento de cada mês.

    Grande abraço.

  226. Janina disse:

    Estava para fazer essa pergunta também, pois entrei em contato com a corretora e somente acima de 20 mil que é cobrado IRRF de 0,005%.

    Disse que essa isenção é somente para ação !

  227. Mauri disse:

    Olá Dalton!

    Em primeiro lugar, parabens pelo seu ótimo trabalho!

    Segue as situacoes ilustrativas (total de venda do mês maior que 20 mil:

    Compra 1 = lucro 1500
    Compra 2 = lucro 1500
    Compra 3 = lucro 2000
    Compra 4 = – 500

    Opcao 1
    Considero o lucro (5000 – 500= 4500) e pago imposto de 15% sobre os 4500 = 675 ?
    Opcao 2
    Considero o lucro (5000 – 15% imposto= 750) menos o prejuizo de 500 = 250 de imposto final a pagar?

    Desde já, muito obrigado!

    Abraço!

    Mauri

  228. Dalton Vieira disse:

    Oi Mauri, bom dia.

    Você para o imposto sobre seu ganho de capital líquido no mês. No seu exemplo é a opção 1 a correta. Lembrando apenas deduzir os custos operacionais dos 4.500,00 (caso não seja já o lucro líquido). Após aplicar os 15% você ainda poderá deduzir o imposto retido na fonte, visando obter o valor final para recolhimento do imposto via DARF.

    Grande abraço.

  229. Vagner disse:

    Dalton,

    seu puder me ajudar a entender, lhe agradeço.

    Suponha que comprei ontem 2000 ações a 20,00. Hoje pela manhã encerrei a operação a 20,50. Acontece que após isso, a cotação caiu bastante chegando a 19,50 e resolvi comprar novamente pra que o sistema entenda como uma operação DayTrade. Então comprei a 19,50 e vendi novamente a 19,51 encerrando de fato toda a operação.

    Então o cenário seria o seguinte:

    1 – lucro de 0,50 na primeira operação (ST)
    2 – lucro de 1,00 na segunda venda (DT)
    3 – fechamento da operação na ultima compra/venda.

    Seria isso mesmo ? Espero que tenha entendido. Desde já agradeço.

    abraço

  230. Vagner disse:

    Dalton,

    esqueci de perguntar se você conhece e indica algum serviço de conferência das notas de corretagem. Já utilizo um sistema de calculadora de IR baseado nas notas fornecidas pela corretora, mas estou a procura de um serviço de conferência dos cálculos dessas notas.

    Muito obrigado.

    abraço

  231. Arilson Gomes disse:

    Bom dia Dalton.
    Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo seu trabalho e pelo esforço e dedicação empreendidas em ajudar os novatos, isso é muito nobre de sua parte e também raro nos dias atuais.
    Isso dito, gostaria de umas explicações, se possível: comprei 3200 ações de uma Cia no dia A a 3,75 e as vendi por 4,35 em um dia B. Ocorre que posteriormente, nesse mesmo dia B, essas ações tiveram uma queda em sua cotação e eu acabei readquirindo-as a um preço de 4,20. Não sabia que isso caracterizaria DT e pra complicar mais a minha situação, adquiri não as mesmas 3200 de antes, mas sim 3500 dessa vez. Tempos depois, em um dia C, vendi as 3500 ações a 3,98 (com prejuízo) e encerrei a operação. Poderia me esclarecer como calcular o imposto a pagar nesse DT? Pela nota de corretagem (onde veio descontado o que seria 1% do IR devido) o valor cobrado foi de 4,6. Tentando entender esse valor, deduzi que ele foi calculado levando em conta a aquisição de apenas 3200 ações ( e não das 3500) pra parear com a venda realizada. Considerei que eles estimaram os custos das operações em 20 reais e nesse caso daria certinho o valor que eles lançaram. É esse mesmo o cálculo? E o que acontece com essas 300 ações não consideradas? Se bem que no cálculo do IR normal elas devem retornar, certo? Complicado… :’(
    Resumindo:
    Dia A: Compra  3200*3,75 = 12.000 custo 9,12

    Dia B: Venda  3200*4,35 = 13.920 custo 10,01
    Compra  3500*4,20 = 14.700 custo 10,57
    Imposto de 4,60 cobrado e não considerado no cálculo dos custos das operações

    Dia C: Venda  3500*3,98 = 13.930 custo 16,30

    Como ficaria o cálculo do IR das referidas operações?
    Abraço.

    que me levou a um cálculo indutivo

  232. Dalton Vieira disse:

    Oi Vagner,

    Foi uma operação de swing trade (compra), entrada em 20,00 e saída em 19,51 e uma segunda de day trade (venda), entrada em 20,50 e saída em 19,50.

    Grande abraço.

  233. Dalton Vieira disse:

    Oi Vagner, bom dia.

    Há o IRPF Bolsa (http://www.irpfbolsa.com.br/) e a calculadora da Bussola do Investidor (https://www.bussoladoinvestidor.com.br/calculadora_de_ir/).
     
    Grande abraço.

  234. Dalton Vieira disse:

    Oi Arilson, bom dia.

    Você fez um day trade de 3.200 ações na ponta vendedora, entrada em 4,35 e saída a 4,20. Em termos de swing trade (operação normal) você teve uma posição de 3.200 ações no dia A, entrada em 3,75 e saída a 3,98 (dia C). O outro swing trade foi de 300 ações no dia B, entrada em 4,20 e saída a 3,98 (dia C).

    1. day trade no dia B: lucro bruto de R$480,00 – os custos devem ter dado um total de 20,00 (lucro líquido de R$460,00), visto que o imposto retido na fonte foi de R$4,60 (1% sobre o lucro líquido). Imposto de 20% sobre 460,00 e depois deduzir 4,60, dando R$87,40 a recolher.

    2. swing trade 1: lucro bruto de R$736,00 (R$0,23 * 3.200 ações).

    3. swing trade 2: prejuízo de R$66,00 (R$0,22 * 300 ações).

    4. swing trade (saldo bruto): 670,00. É preciso abater os custos operacionais para obter o valor líquido, visando na sequência aplicar a alíquota de 15%. Depois é só deduzir o imposto retido na fonte para ter o valor final a recolher.

    Importante: somente será necessário recolher o imposto do resultado das operações de swing trade se o somatório das vendas superou R$20.000,00. No exemplo acima não ultrapassou. Logo, caso não tenha havido outras operações de swing trade no mês, você ficou isento de recolher o imposto. Será necessário apenas recolher o imposto do day trade.

    Grande abraço.

  235. Arilson Gomes disse:

    Dalton, muito obrigado pelos seus esclarecimentos.

  236. Ernesto disse:

    Boa noite Dalton !

    Parabéns pelo excelente trabalho.

    Gostaria de sanar uma dúvida. Considere a seguinte situação:

    Perdas a compensar até Fev.16 = R$ 10.000,00
    Total de ações vendida em Mar.16 = R$ 16.000,00
    Lucro em Mar.16 = R$ 500,00

    O valor total de vendas no mês é inferior ao limite de R$ 20.000,00. Se não houvessem perdas a compensar, não haveria necessidade de pagamento de IR e o lucro não ficaria “acumulado” para o mês seguinte. Mas e no caso em que existem perdas a compensar? O lucro vai abater a perda reduzindo para R$ 9.500,00, ou esse lucro também não é utilizado para abater perdas?

    Um abraço.

  237. Ernesto disse:

    Dalton,

    Uma segunda dúvida.

    Considerando-se a mesma situação acima, no mês de Mar.16 houve o recolhimento IR na fonte (o dedo duro) de R$ 0,80.

    Como o valor total de vendas no mês é inferior ao limite de R$ 20.000,00, fica-se isento de pagar IR, mas o que acontece com o IR recolhido na fonte? Deve ser acumulado para o próximo mês ou deve ser descartado do cálculo.

    Um abraço.

  238. Dalton Vieira disse:

    Oi Ernesto, bom dia.

    Não haverá necessidade de recolhimento de imposto sobre o ganho de capital de março. Seguirá para os meses seguintes R$10.000,00 de perdas a compensar.

    Grande abraço.

  239. Dalton Vieira disse:

    Oi Ernesto,

    Neste caso (isenção) você pode desconsiderá-lo.

    Grande abraço.

  240. Ernesto disse:

    Obrigado pelas últimas respostas.

    Aproveito para encaminhar mais uma dúvida.

    Como é feito o tratamento tributário de operações Long & Short mensalmente e também na declaração anual do IR?

    Atenciosamente,

  241. Pedro disse:

    Fiz 3 operações de Swing Trade no mês

    1 – Lucro de 830 reais
    2 – Prejuizo de 133,76 ( já com custo operacionais )
    3 – Prejuizo de 23,24 ( já com custo operacionais )

    Compensar já os prejuizos com o lucro ou compensar o total de prejuizo 157,00 para o próximo mês e apenas calcular o IR de 830 reais ?

    Obrigado !

  242. Dalton Vieira disse:

    Oi Ernesto, bom dia.

    Apesar de não ter feito ainda este tipo de lançamento, faz sentido seguir as mesmas “regras” da compra e venda normal de ações. Enfim, seu foco ficará mais na questão do ganho de capital, tipo de operação (alíquota do imposto) e os custos operacionais.

    Sobre a declaração anual não sou um especialista no assunto. Por este motivo recomendo este post: http://www.blogdoinvestidor.com.br/investimentos/como-declarar-acoes-n o-imposto-de-renda/.

    Grande abraço.

  243. Dalton Vieira disse:

    Oi Pedro, bom dia.

    A pergunta é simples: qual foi o ganho de capital no mês das suas operações de swing trade? Ou seja, lucros – perdas = saldo final do mês. Portanto, neste exemplo você calculará o imposto sobre R$673,00, isto é, caso o volume de vendas no mês tenha ultrapassado os R$20.000,00.

    Grande abraço.

  244. Pedro disse:

    Fiz um único trade de Swing Trade

    Comprei 1000 ações a 20,90 e acabei vendendo a 20,90

    Não tive lucro, pois fiquei com prejuizo de custos opercionais, sendo 10,20 de corretagem e 13,04 de emonumentos, num total de prejuizo 23,24

    Cobra retido na fonte nessa operação ?

    Obrigado !

  245. Pedro disse:

    Errata: é Comprei 1000 ações a 20,09 e acabei vendendo a 20,09

    Mas tanto faz,seria a mesma dúvida

  246. Dalton Vieira disse:

    Oi Pedro, bom dia.

    Acredito que houve IRRF no momento da venda, por favor, verifique sua nota de corretagem do encerramento da operação. O prejuízo dos custos operacionais poderão ser compensados no lucro dos próximos meses.

    Grande abraço.

  247. Pedro disse:

    Nesse caso eu compenso o IRRF no cálculo do IR do próximo mês ?

    Ex: Se o IRRF for 2,50 e coloco 3,50

  248. Dalton Vieira disse:

    Oi Pedro,

    Pode compensá-lo após aplicar a alíquota do imposto sobre o ganho líquido do capital.

    Grande abraço.

  249. Pedro disse:

    Swing trade

    Tive uma operação acima de 20 mil com ganho, em outra operação tive prejuizo acima de 20 mil, sendo esse acima de 20 mil com prejuizo vai me cobrar IRRF, posso compensar esse IRRF nesse mês mesmo ou somente no próximo mês ?

    Obrigado !

  250. Dalton Vieira disse:

    Oi Pedro,

    O IRRF pode ser compensado ao final de cada mês ou ser levado para compensar no mês seguinte.

    Grande abraço.

  251. Otavio Silveira disse:

    Dalton, estou com uma dúvida e não sei se estou fazendo isso corretamente. Estou utilizando esse artificio de vender menos de 20.000 reais por mês mesmo em operações de longo prazo visando abatimento de imposto de renda.

    Por exemplo, comprei 1000 ESTC3 por 12,41 algum tempo atrás. Recentemente zerei minha posição e logo comprei de novo por algo em torno de 17,60.
    Considero que esta primeira operação foi encerrada e tenho direito a isenção, só que efetuei uma nova compra no mesmo dia (eis a dúvida, já que não utilizei ferramentas de daytrade em nenhum momento) visando elevar meu valor de compra da mesma.

    No caso de uma venda acima dos 20 reais por ação, estourando o limite de isenção, posso assim mesmo considerar como R$ 17,60 o preço de compra? Deveria eu ter aguardado o dia seguinte para iniciar a nova operação?

  252. leandro disse:

    Oi, Dalton. Será que vc pode me esclarecer duas dúvidas?

    1. Para calcular o valor das vendas de ações (operações comuns) para ver se atingi ou não o valor de 20000 da isenção, eu devo abater os custos com as operações? Ou esses 20000 são de venda bruta, apenas multiplicando a quantidade X os preços das vendas?

    2. O IRRF pode ser considerado custo e ser abatido do valor das vendas, como fazemos com a corretagem?

    abs e parabéns pelo site

  253. Marcelo Magalhães disse:

    Boa Noite Dalton!

    Vamos ao exemplo: Comprei 100 ações Petr4 hoje no valor de R$ 13,00. No dia seguinte seu valor foi para R$ 14,00 e as vendi. Tive um lucro de R$ 100,00. Livre de Imposto de Renda pois foi operação comum. Porém no mesmo dia, após a venda seu valor caiu e foi para R$ 13,50 então resolvi comprar novamente 100 ações da Petr4 a R$ 13,50 visando que elas volte a subir, mas ao fazer isso o sistema gerou Imposto de Renda sobre o valor da venda de R$ 14,00 e da nova compra de R$ 13,50. Essa operação é considerada Daytrade? Tenho que pagar imposto de renda sobre os R$ 0,50 mesmo que a última operação de compra não foi vendida no mesmo dia? E os R$ 0,50 na verdade refere-se ao lucro que obtive de outra operação que na verdade o lucro foi de 1,00 em operação comum? Espero que tenha entendido a pergunta, se precisar envio novamente!

    Obrigado! Abrs

  254. Dalton Vieira disse:

    Oi Otavio,

    Se você recomprou as 1000 ações no mesmo dia que fez a venda, então houve uma operação de day trade (venda seguida de compra). Logo, sua compra de 1.000 ações por 12,41 foi mantida (swing trade) e houve uma operação de day trade. Será necessário calcular o resultado da mesma. Se comprou por um valor mais abaixo que vendeu, provavelmente houve lucro (é necessário verificar o impacto dos custos operacionais). Veja a nota de corretagem deste dia.

    Respondendo a sua 2a pergunta, o preço a ser considerado será o primeiro (12,41), conforme já comentado acima. Sim, deveria ter aguardado o dia seguinte, caso não quisesse fazer day trade.

    Grande abraço.

  255. Dalton Vieira disse:

    Oi Leandro, boa noite.

    1. Valor bruto da venda.

    2. IRRF poderá ser abatido após ter aplicado a alíquota do imposto sobre o lucro líquido.

    Obrigado pelas congratulações. Grande abraço.

  256. Dalton Vieira disse:

    Oi Marcelo,

    A primeira compra a 13,00 (operação normal – swing trade) ficou do jeito que estava. Além disso, houve um day trade de venda a 14,00 e fechamento da posição (compra) a 13,50. Lucro bruto de 0,50 por ação. Será necessário recolher imposto deste valor, na realidade do resultado final das operações de day trade no mês.

    Grande abraço.

  257. Leonir disse:

    No mês fiz Day Trade comprando a 16 reais e vendendo a 18 reais pago imposto.
    No mesmo mês fiz Swing Trade comprando a 13 reais e vendendo a 15 reais.

    Eu tenho que pagar imposto do Swing Trade ?

    Tenho que somar o total da venda do Day Trade mais o total da venda Swing trade para calcular o imposto dessa operação de Swing Trade ?

    18.000,00 + 15.000,00 = 33 mil ( acima de 20 mil no mês )

  258. Dalton Vieira disse:

    Oi Leonir,

    1. Será necessário pagar imposto do swing trade se o somatório das vendas de operações normais no mês superou R$20.000,00. Caso contrário, não há necessidade, apenas do day trade.

    2. Não, apenas das operações normais (swing trade).

    Grande abraço.

  259. Leonir disse:

    Valeu

    Tem muita gente que achar que sabe e colocam matéria de IR tudo errado na net, pois achei estranho mesmo, sendo assim estaria pagando novamente IR do Day Trade novamente.

  260. Leonir disse:

    IRRF no Swing Trade só é cobrado se for acima de 20 mil ?

  261. Dalton Vieira disse:

    Oi Leonir, bom dia.

    Pra mim faz mas sentido considerar apenas o somatório das vendas normais no mês para verificar se ultrapassou os R$20.000,00 da isenção. No entanto, meu contador mencionou que o ideal, para evitar problemas, é somar todas as vendas do mês – operações normais e day trade.

    Grande abraço.

  262. Dalton Vieira disse:

    Oi Leonir,

    O IRRF é cobrado no momento das vendas, independente se a operação é acima de 20.000,00. É uma forma da receita rastrear quem está recolhendo ou não o imposto devido. O mesmo poderá ser abatido no cálculo do imposto a recolher.

    Grande abraço.

  263. Sandra Scardoeli disse:

    Boa noite!
    Muito bom seu conteúdo. Tem me ajudado bastante.
    Tenho uma dúvida:
    No dia 02/09 comprei 1000 ações X a 2,60 cada, no dia 06/09 vendi as 1000 ações por 3,57, porém no mesmo dia comprei 5000 ações X a 3,20 e as vendi por 3,14, zerando estas ações. Na nota de corretagem consta IRRF sobre Day Trade (-0,78). A pergunta é a seguinte, quais operações considero day trade? E quais considero operações normais?
    Desde já agradeço.

  264. Dalton Vieira disse:

    Oi Sandra, boa noite.

    1. Day trade de venda de 1.000 ações a 3,57 e encerramento com ganho em 3,20.

    2. Day trade de compra de 4.000 ações a 3,20 e encerramento com perda em 3,14.

    3. Swing trade de 1.000 ações a 2,60 (2/9) e encerramento em 3,14 (6/9).

    Grande abraço.

  265. Pedro disse:

    Bom dia !

    O emolumentos e IRRF as corretoras arredonda pra baixo no valor total da nota ?

  266. Dalton Vieira disse:

    Oi Pedro,

    Vai depender de cada corretora. Já vi arredondamento para os dois lados, depende muito do valor final das casas decimais.

    Grande abraço.

  267. matheus disse:

    supondo que tenho conta em 2 corretoras , só opero daytrade dolar
    perdi em julho e agosto 4.000,00 na corretora A
    ganhei em novembro 3.500 na correto B

    é preciso recolher darf? como abater?

  268. Dalton Vieira disse:

    Oi Matheus,

    O cálculo do imposto das operações nas corretoras A e B tem que ser independentes. Logo, você terá 4.000,00 para compensar nos meses seguintes sobre o lucro obtido na corretora A. Na corretora B terá que calcular o imposto sobre os 3.500,00 para recolher via DARF até o último dia útil de dezembro.

    Se tiver imposto a recolher em ambas as corretoras, o DARF poderá ser único (mesmo CPF), mas os cálculos permanecem independentes.

    Grande abraço.

  269. Richard disse:

    Olá Dalton, no mês de novembro/16 fiz operações na bolsa (vendas) que ultrapassaram os R$ 20.000,00 e no total obtive lucro. Em uma destas por erro meu acabei fazendo um day trade a saber:

    07/10 – Compra de 100 ações de X a 22,72
    08/11 – Venda de 100 ações de X a 26,80
    08/11 – Compra de 200 ações de X a 27,08

    Gostaria de saber contigo como calcular o imposto de renda nesta situação, e se no futuro quando vender estas 200 ações de X, o lucro ou prejuízo deve ser apurado usando como referência para cálculo o preço de 22,72 de 27,08 ou a média de ambos?

  270. Dalton Vieira disse:

    Oi Richard, bom dia.

    Você tem uma compra de 200 ações para swing trade, sendo 100 compradas por 22,72 e 100 por 27,08. Além disso, fez um day trade (venda) de 100 ações a 26,80, zerando a posição a 27,08. Ou seja, o day trade gerou prejuízo, mas não poderá ser descontado sobre o lucro das operações de swing trade no mês.

    Quando for vender as 200 ações de swing trade poderá considerar o preço médio de aquisição de 24,90.

    Grande abraço.

  271. Guilherme disse:

    Bom dia Dalton!

    Estou com uma dúvida em relação a compensação de perdas em mini indice.

    Tive lucro com day trade de ações e um prejuízo em day trade com mini contrato. Posso compensar uma com a outra? Ou no caso de day trade tem que ser ação com ação e futuro com futuro?

    Obrigado!

  272. Dalton Vieira disse:

    Oi Guilherme, bom dia.

    Sim, você pode compensar desde que seja o mesmo tipo de operação (ex: day trade).

    Grande abraço.

  273. Evandro 8 disse:

    Boa tarde. Para day trade mini índice . Quais são as taxas e custos que tiro do meu lucro para calculo de ir ?na nota de corretagem a varios totais. Quais que utilizo para a base de cálculo?
    No seu exemplo de compensaçao ee prejuizo entre um mes para o outro de day trade. A taxa reduz de 20% para 15 % ? Vc tem alguma planilhas para esses calculos ? Se nao Como que devo montar ela ? Quais informaçoes a serem colocadas?

  274. Dalton Vieira disse:

    Oi Evandro, boa noite.

    Você deve deduzir do lucro bruto os custos operacionais (corretagem, emolumentos, taxa de liquidação, ISS, etc). O IRRF (imposto retido na fonte) também pode ser deduzido, só que após aplicar a alíquota de 20% para o ganho de capital obtido nas operações de day trade ou 15% para operações normais.

    Há corretoras que podem fornecer para você gratuitamente a calculadora do imposto de renda e facilitar e muito sua vida. Qualquer dúvida é só enviar um e-mail pra mim através do menu Contato.

    Grande abraço.

  275. Guilherme Guedes Machado disse:

    Boa noite Dalton,

    Primeiramente, parabéns pelo site e pelo conteúdo!

    Por favor, preciso de uma ajuda sobre imposto de renda em venda de ações. Pois não sei se devo pagar IR das minhas operações de dezembro. Vou explicar o cenário:

    Vendas Normais (dezembro)
    R$18.000,00 (com lucro)
    Vendas Day Trade (dezembro)
    R$5.000,00 (com prejuízo)

    A soma total supera os R$20000 de isenção, porém não encontro a informação precisa se este valor é para a soma day trade+normal do mês. Saberia me dizer se é a soma dos 2 ou são separados?

    Estou em dúvida porque a calculadora de IR da minha corretora, informa que tenho que pagar sobre este lucro. Entretanto, olhando minhas notas de corretagem não aparece nenhum valor retido na fonte.

    Poderia me ajudar com a sua experiência? Devo pagar IR sobre o lucro q tive em operações normais?

    Muito obrigado!

  276. Dalton Vieira disse:

    Oi Guilherme, boa tarde.

    No seu exemplo haverá a necessidade de calcular o imposto sobre o lucro das operações normais. Isto porque na lei diz que “…valor das alienações, realizadas em cada mês, seja igual ou inferior a R$ 20.000,00 (vinte mil reais)…”, ou seja, não há referência alguma sobre o tipo de alienações (vendas).

    O prejuízo ocorrido em DT poderá ser compensado nos meses seguintes sobre o lucro obtidos com DT.

    Grande abraço.

  277. Flávio disse:

    Bom dia,

    Obtive um Prejuízo no Mês de dezembro de 2016 no valor de 1000 Reais em operações day trade. Eu posso compensar no Mês de Janeiro de 2017 ou cada ano se reinicia a apuração do IRPF?

  278. Luís disse:

    Gostaria de tirar uma dúvida. Supondo que nas operações normais no fim do mês eu não atingi 20 mil reais de vendas, no entanto nesse mesmo mês fiz uma operação day trade,fazendo com que ultrapassasse os 20 mil reais, então como ficaria essa situação? teria que pagar imposto sobre as operações normais, e ainda as day trades?

  279. Luís disse:

    A isenção de imposto de renda para operações normais de até 20 mil, será atingida se eu atingir valor maior que 20 mil com operação day trade? Isto é, pagarei o imposto tanto normal quanto day trade? Uma vez que nas operações normais não atingi 20 mil.

  280. Dalton Vieira disse:

    Oi Flavio, boa tarde.

    Sim, você pode compensar no exercício (ano) seguinte, desde que os resultados de cada mês do ano anterior sejam registrados na declaração anual do imposto.

    Grande abraço.

  281. Dalton Vieira disse:

    Oi Luis, boa tarde.

    Sim, as vendas do day trade entrarão na conta do somatório de vendas do mês para o teto da isenção (20.000,00).

    Grande abraço.

  282. Eder Costantin disse:

    Boa tarde, Dalton!

    Como é feito o cálculo do preço médio das ações na compra de várias ações de empresas diferentes ao mesmo tempo e como são diluídos os custos de corretagem, emolumentos, ISS e custódia em cada uma dessas ações diferentes? O mesmo procedimento deve ser feito no momento da venda? Se puderem exibir um exemplo prático, ajudará bastante no entendimento. Aguardo o retorno e, desde já, agradeço!

    Atenciosamente,

    Eder Costantin.

  283. Miguel disse:

    Bom dia! Dalton, como é calculo de IR em daytrade? Como faço para calcular o lucro? Por exemplo, diz 3 td e uma compra sem venda.
    Obs: A taxa de corretagem para daytrade é 10, e para swingtrade é 14,90
    1ª: Compra de 1k a 16,24 e venda de 1k a 16,29
    2ª: Compra de 1k a 16,36 e venda de 1k a 16,40
    3ª: Compra de 1k a 16,37 e venda de 1k a 16,42
    4ª: Compra de 1k a 16,33 sem venda.

    total taxa de liquidação: 24,10
    Total emolumentos: 5,71
    Total Corretagem: 74,90
    Total ISS: 7,22
    Outras Bovespa: 2,92

  284. Dalton Vieira disse:

    Oi Eder, boa tarde.

    Você tem que ter o cálculo dos custos para cada operação. Não há preço médio para ações diferentes, apenas se for a mesma ação. Enfim, há algumas calculadoras de imposto de renda disponíveis no mercado que tende a facilitar muito a vida do investidor. Algumas corretoras fornecem esse serviço, geralmente pago. Mas há formas de obtê-lo gratuitamente. Qualquer dúvida é só me mandar um e-mail (menu Contato) ou uma mensagem pelo Telegram (https://t.me/daltonvieira).

    Grande abraço.

  285. Dalton Vieira disse:

    Oi Miguel, boa tarde.

    Basta seguir a tabela dos custos da Bovespa para day trade (liquidação + emolumentos = 0,025%). O valor da corretagem você já sabe para o day trade. Veja junto a sua corretora qual o valor do ISS (%). Desta forma, conseguirá calcular os custos de cada operação.

    Além disso, você tem a opção de ver com sua corretora se há algum serviço de calculadora para o imposto, isto ajuda bastante. Geralmente é um serviço pago. Dependendo da sua corretora e/ou assessor (agente autônomo) é possível conseguir esse serviço gratuitamente. Qualquer dúvida é só me mandar um e-mail (menu Contato) ou uma mensagem pelo Telegram (https://t.me/daltonvieira).

    Grande abraço.

  286. Jose disse:

    Se tive prejuizo em janeiro de 1.065,35 de prejuizo e 9,67 de IRRF acumulado para próximo mês, então posso somar 1065,35 + 9,67 = 1075,02 e descontar do lucro do próximo mês e depois fazer o calculo do IR ?

    Somar o prejuizo1.065,35 com o 9,67 do IRRF e fazer o calculo do IR ou somente descontar o 9,67 depois que calcular o IR ?

    Se você montar um conta de como ficaria para ficar bem claro eu agradeço.

    Obrigado !

    OBS: Fevereiro com 2 mil de lucro

  287. Jose disse:

    Achei uma resposta que você respondeu Só depois que calcular o IR que desconto o IRRF

    Você deve deduzir do lucro bruto os custos operacionais (corretagem, emolumentos, taxa de liquidação, ISS, etc). O IRRF (imposto retido na fonte) também pode ser deduzido, só que após aplicar a alíquota de 20% para o ganho de capital obtido nas operações de day trade ou 15% para operações normais.

  288. Dalton Vieira disse:

    Oi Jose, bom dia.

    Não. O IRRF (9,67) poderá ser deduzido após aplicar alíquota do imposto sobre o lucro líquido (lucro bruto – prejuízos anteriores – custos operacionais). Por gentileza, assista novamente ao vídeo sobre o cálculo do imposto, principalmente no final do exemplo apresentado.

    Grande abraço.

  289. Dalton Vieira disse:

    Correto, Jose.

    Grande abraço.

  290. Jefferson borges disse:

    Bom dia,

    Tenho uma dúvida, comprei ações da Vale desde janeiro/2013 em varias etapas, e vendi agora em Janeiro/2017 posso corrigir o valor investido pela poupança até a data da venda e deduzir a correção do lucro a ser recolhido o IR, fiz uma venda mais de R$ 20.000,00 no mês de operação normal. Fico no aguardo obrigado

  291. João Soares disse:

    Dalton, boa tarde.

    1) É possível após o pagamento da DARF, consultar se a receita deu como correto o valor pago? Ou isso só pode ser descoberto quando a receita pega na declaração anual?

    Exemplo, Calculei meu imposto e gerei uma darf no valor de R$ 662 reais.

    Suponhamos que eu calculei errado e na verdade o valor a ser recolhido era de R$ 700 reais.

    Eu posso consultar em algum lugar para averiguar se eu paguei certo ou errado?

    2) Outra questão é pra vc ver se eu fiz certo:

    Fiz os calculos da seguinte forma:

    1- Fiz preço médio das ações que vendi (pois algumas ocorreram aportes) já contabilizando os custos de corretagem nesse preço médio [(ex. 100 ações * preço ) + corretagem ] + [(ex. 100 ações * preço ) + corretagem ] / quantidade total

    2- A partir desse lucro bruto calculado pelo valor de compra (média acima) e valor de venda atual (maior) obtive o lucro porém desse lucro subtrai mais uma taxa de corretagem que no caso foi a de venda.

    3- a partir do resultado acima tirei os 15% de aliquota pois foi operação normal.

    Está certo isso?

  292. Daniela Martin disse:

    Olá Dalton, Boa tarde! Adorei as explicações, mas estou com dúvida em um caso atípico…

    Em Nov/16 tive prejuízo com DT no valor de -R$2574,08 – contabilizando várias operações de DT entre lucros e prejuízos

    Em Dez 16 tive novamente prejuízo no valor de -R$12,80 – idem acima

    Perguntas: o imposto sobre DT eu devo pagar considerando o saldo final de todas as operações? Ou seja, se tive prejuízo no final das contas, não pago IR? Ou devo pagar IR sobre cada operação que tive lucro? Foram diversas, mas juntando os prejuízos, prevaleceu o saldo negativo.

    Continuando, em Jan/17 tive lucro de R$132,09 sobre DT – contabilizando todas as operações de DT

    Pergunta: eu deveria ter pago imposto sobre este lucro? Ou posso abater dos prejuízos dos meses passados, exatamente como fiz nessa situação…

    Neste mês de FEV/17 tambem tive um pequeno lucro com DT no valor de R$119,92, deverei pagar IR até o final de março, ou posso abater do prejuízo dos meses de nov e dez de 2016?

    Muito obrigada e parabéns pelas explicações!
    Daniela Martin

  293. Dalton Vieira disse:

    Oi Jefferson, boa tarde.

    Infelizmente não, até onde eu sei. Inclusive ficaria complicado da Receita ter o controle neste tipo de cálculo.

    Grande abraço.

  294. Dalton Vieira disse:

    Oi João, boa tarde.

    1. Desconheço. Geralmente isto ocorre através da declaração anual.

    2. Correto. Lembre-se de deduzir o IRRF após aplicar a alíquota do imposto sobre o lucro líquido.

    Na dúvida uma opção interessante é buscar pelo serviço de calculadora de imposto de renda junto a sua corretora. Geralmente é um serviço pago, mas dependendo do valor vale a pena. Há também outras formas de obter este serviço de forma gratuita. Qualquer dúvida é só mandar um e-mail pra mim através do menu Contato aqui do site.

    Grande abraço.

  295. Jose disse:

    Se eu tenho IRRF de DT e ST para compensar, posso compensar tudo no DT ?

    EX:
    Para compensar
    10,00 IRRF DT
    5,00 IRRF ST

    Valor líquido 1000 reais

    IRRF 1% de 1000 reais = 10 reais

    20 % do valor líquido de 1000 reais = 200 reais

    200,00 – 15,00 do compensar -10,00 = 175,00 de IR

    Obrigadão !

  296. Lais disse:

    No final do vídeo você ficou perda de 300 reais e ganhou depois 1300 ficando com ganho de 1000 reais, só que você não calculou o IRRF desse 1000 reais.

  297. Dalton Vieira disse:

    Oi Daniela, bom dia.

    1. O cálculo do imposto é sobre o resultado final do mês para cada tipo de operação (DT ou normais). Logo, não será necessário recolher imposto sobre o exemplo comentado, pois foram dois meses de prejuízos.

    2. Pode compensar o prejuízo acumulado de nov e dez/16 sobre o lucro de jan/17. Logo, não será necessário recolher imposto. Lembre-se de reduzir o valor a ser compensado nos próximos meses. Além disso, é importante registrar na declaração anual do imposto os resultados de cada mês de 2016, visando compensar as perdas do exercício anterior (2016) neste exercício (2017).

    3. O mesmo comentado no item 2. Pode ir compensando as perdas até que elas sejam zeradas. A partir daí terá que recolher o imposto.

    Grande abraço.

  298. Dalton Vieira disse:

    Oi Jose, bom dia.

    Não pode misturar o cálculo do imposto de DT (operações de day trade) e ST (operações normais), tem que ser separado. O recolhimento é que pode ser feito através de um único DARF.

    Grande abraço.

  299. Jose disse:

    Tem um contador dizendo que pode compensar IRRF de DT e ST somando e compensar no DT
    ou IRRF de DT e ST compensar o ST

    Por isso estou perguntando

  300. Dalton Vieira disse:

    Oi Jose, bom dia.

    Basta dar uma lida nas normas da Receita: http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?idAto= 67494&visao=original (Art. 64).

    Grande abraço.

  301. Dalton Vieira disse:

    Oi Lais, boa tarde.

    Seu raciocínio está correto. Na parte de compensação eu só quis destacar como ela ocorre, pois já tinha destacado a questão de dedução do IRRF no exemplo anterior. Sendo mais detalhista eu teria que ter colocado uma coluna a parte do acumulado de IRRF (de cada mês) a ser deduzido no lucro de 1.000,00.

    Obrigado pela participação. Grande abraço.

  302. Jose disse:

    Sobre a norma é somente compensação dos prejuízos, IRRF é feito separado do prejuizo da operação, sendo que só adicionado no prejuizo a corretagens + ISS e emolumentos, por isso que IRRF não entra na soma do prejuizo

  303. joao disse:

    boa noite! por favor, me tire uma duvida: se a venda for abaixo de 20 mil nao ha imposto. quanto a isso blz. Bem mas nesta compra e venda tive gasto com emolumentos, ISS e outros. Estas despesas, poderei usar para abater dos lucros futuros também?

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.