Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

18.03.2008 | 0:58

Em ação os bombeiros: FED e JP Morgan

Publicado na(s) categoria(s) Mercado, por Dalton Vieira

Nesta segunda-feira (17) as bolsas de valores abriram a semana “assustadas” com o desenrolar da crise de crédito norte-americana. Assim como na sexta-feira (14) o centro das atenções foi o Bear Stearns, 5o maior banco de investimentos dos EUA, que foi comprado pela JP Morgan. Cada título do “quebrado” Bear Stearns foi comprado por apenas 2,00 dólares (no ano passado valia 129,00 dólares), conforme destacado pela JP Morgan em comunicado.

O ex-presidente do banco central americano (Fed), Alan Greenspan, afirmou em editorial publicado nesta segunda-feira no Financial Times que a crise atual pode ser considerada a mais grave desde a Segunda Guerra mundial.


JP Morgan compra Bear Stearns e Fed abre empréstimos

NOVA YORK (Reuters) – O JP Morgan Chase fechou um acordo para comprar o rival Bear Stearns a um preço irrisório, enquanto o Federal Reserve ampliou os empréstimos ao mercado pela primeira vez desde a Grande Depressão.

O noticiário é o maior sinal até agora de quão devastadora é a crise de crédito para Wall Street e jogou o dólar ao patamar mínimo histórico frente ao euro, derrubou as ações na em todo o mundo e impulsionou o ouro.

Crédito interbancário trava;bancos perguntam “quem é próximo?

LONDRES (Reuters) – As operações financeiras e os empréstimos interbancários quase foram interrompidos nesta segunda-feira, com os bancos cada vez mais temerosos em negociar uns com os outros após o quase colapso do banco de investimento Bear Stearns e em meio ao rumor de mais uma rodada de ajuda coordenada pelos bancos centrais.

Pessoas ligadas a bancos disseram que estão tendo dificuldades para avaliar os acontecimentos desde que o Federal Reserve de Nova York anunciou, na sexta-feira, que estava auxiliando o Bear Stearns via JPMorgan . A preocupação intensa com a estabilidade e a solvência de outras instituições financeiras secou os volumes no mercado de crédito.

Neste ambiente de bastante pessimismo o Ibovespa fechou o dia (17) em forte baixa de 3,19% (60.011 pontos), acompanhando o desempenho das demais bolsas pelo mundo. O fechamento deste dia “respeitou” o suporte em 59.995 pontos, proporcionado pela mínima do dia 10.

Agora só nos resta aguardar nesta terça-feira (18) mais uma ação do “bombeiro” FED ao anunciar a nova taxa de juros dos EUA às 15:15h (horário de Brasília). Vamos ver se este anúncio acalmará o mercado e animará os compradores.


Até breve!

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.