Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

22.01.2008 | 0:38

IBOV – Cadê o piso?

Publicado na(s) categoria(s) Ibovespa, por Dalton Vieira

No dia (21) em que as bolsas de valores nos EUA estavam fechadas devido ao feriado Martin Luther King Day, os mercados pelo mundo despencaram. No clima de forte pessimismo em relação à economia norte-americana o Ibovespa abriu a semana com queda acentuada de 6,6%, a maior desde fevereiro de 2007.

Na Europa o estrago também foi grande. O principal índice de ações do continente (FTSEurofirst) caiu 5,79%. Esta foi a maior baixa desde 11 de setembro de 2001.

Juncker diz que Europa não descarta mais recessão nos EUA

BRUXELAS (Reuters) – A Europa não descarta mais uma recessão nos Estados Unidos que afetaria os países da região, mas isso não é razão para pessimismo, disse nesta segunda-feira Jean-Claude Juncker, chairman do Eurogroup.

“Nos últimos meses, descartamos a possibilidade de uma recessão nos Estados Unidos, mas eu acho que hoje não podemos mais descartar isso completamente.”

Gráfico Diário

O candle de baixa desta segunda-feira (21) superou facilmente, logo na abertura do pregão, o suporte em 55.566 pontos proporcionado pela máxima do dia 04/09 (topo). O fechamento em 53.709 pontos, próximo à mínima do dia, sinaliza uma nova mínima para o pregão desta terça-feira (22).

Em que ponto estará a reversão deste movimento de queda de quase 10 mil pontos em 07 dias? Na minha opinião o “piso” está em torno dos 52.000 pontos. Por quê? Porque coincide com uma série de suportes que estão destacados abaixo. Além disso, coincide com a projeção de baixa do rompimento do triângulo “simétrico”.

  • 52.652 – fechamento do dia 10/09;
  • 52.320 – mínima do dia 10/09 (fundo);
  • 52.179 – média móvel de 65 períodos no gráfico semanal;
  • 51.645 – fechamento do dia 28/08; e
  • 51.389 – mínima do dia 28/08.

Um ponto a se observar no gráfico acima é que o volume financeiro de hoje foi inferior ao dia anterior (18), provavelmente devido ao feriado nos EUA, mas pode ser um indício de que uma possível retração (movimento de alta) desta grande queda está próxima.

Oportunidades

Após grandes quedas como esta (10.000 pontos) é comum surgir boas oportunidades de compra. Estas oportunidades podem ser dividas em 02 tipos:

  1. Longo prazo (acima de 10 anos): Aproveitar o momento de “desconto” (queda) no preço das ações de boas empresas e adicionar lote(s) na carteira. Neste caso as compras seriam mais moderadas, pois há a possibilidade de efetuar novas compras a preços mais baixos;
  2. Curtíssimo prazo (02 a 04 dias): Avaliar detalhadamente as melhores oportunidades de reversão, cujo objetivo mínimo de ganho seja em torno de 10%. Neste caso o ideal é usar um volume financeiro que seja afetado levemente pelos custos operacionais, preferencialmente abaixo de 0,5%.

Vale ressaltar que esta é a minha opinião e que a mesma não representa uma dica de compra. A decisão de compra ou venda é exclusiva de cada investidor. Lembre-se sempre de fazer sua própria avaliação (análise) ao ler análises ou “dicas” de compra pela internet e principalmente de corretoras.

Estou querendo dizer que as análises na internet ou dos analistas das corretoras estão erradas? De forma alguma. No entanto, ao confiar em uma análise ou indicativo de compra sem antes passar pelos seus critérios de investimentos, você provavelmente estará desperdiçando uma excelente oportunidade de aprender. A seguir um texto que considero fantástico.

“Os investidores que seguem as dicas de algum corretor, que copiam o que os amigos estão fazendo ou que usam os jornais como principal fonte de informações sobre investimentos, são como rolhas que flutuam sobre as ondas do mar. Essas pessoas permitem que outros controlem sua ações e, assim, a culpa nunca é deles quando perdem dinheiro. Como conseqüência, nunca aprendem.”

Até breve!

2 Comentários

Assine os feeds dos comentários deste post

  1. Anonymous disse:

    Destaco o seu comentário: “o “piso” está em torno dos 52.000 pontos. Por quê? Porque (…) coincide com a projeção de baixa do rompimento do triângulo “simétrico”".
    O IBOV respondeu à minha indagação de alguns dias atrás, sobre as regras de projeção (como a do triângulo simétrico) também funcionarem em índices em que a variação brusca é mais improvável.
    Mais uma lição devidamente anotada em meu caderno!
    E continuo acompanhando o blog diariamente e estudando!
    Abraço!
    Daniel Luchine

  2. <b>Dalton Vieira</b> disse:

    Olá Daniel,

    Fantástico como a projeção do triângulo foi cumprida! Parabéns pela sua dedicação aos estudos. Nada melhor que fortalecer e aprender mais com a prática!

    Obrigado pelo comentário e por participar.

    P.S.: Quando você estiver na terra do tio SAM farei uma visita para debatermos sobre os investimentos por lá (risosss)!

    Grande abraço.
    Dalton Vieira

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.