Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

01.07.2008 | 0:18

IBOV – Junho: O início de uma correção maior?

Publicado na(s) categoria(s) Fluxo dos Investidores, Ibovespa, por Dalton Vieira

Gráfico Mensal

O mês de junho fechou registrando uma queda de 10,44%, a maior desde abril de 2004. O forte candle de baixa deste mês sinaliza uma correção maior para o Ibovespa, principalmente após reverter o candle de alta do mês anterior que registrou o maior giro financeiro da história (R$ 102,75 bilhões).

Desta forma, a maior probabilidade é do IBOV buscar o patamar dos 60.000 pontos. Apenas por curiosidade, no seu gráfico mensal observe por exemplo o que aconteceu no mês seguinte após o candle de maio/2005 (9,5% de baixa) e abril/2004 (11,45% de baixa). Pois é, não é certeza da história se repetir e o IBOV cair no próximo mês, mas a conjuntura atual da economia está coerente com o sinal de baixa deste mês de junho. Vamos a alguns pontos:

  • Crise na economia americana (recessão);
  • Petróleo e outras commodities em um patamar elevadíssimo de preço. Por exemplo o petróleo está próximo dos U$ 150,00;
  • O preço elevado das commodities impulsiona a inflação em diversos países;
  • A inflação impulsiona a alta dos juros para frear o consumo e conseqüentemente segurar ou até reduzir o preço das commodities.
  • Taxa de juros subindo e consumo caindo freiam o crescimento da economia mundial.

Enfim, o cenário aponta para uma correção maior do Ibovespa, que inicialmente poderá testar os 60.000 pontos. Suportes importantes neste tempo gráfico:

  • 60.965 pontos – mínima de abril/2008;
  • 59.490 pontos – fechamento de janeiro/2008;
  • 53.010 pontos – mínima de janeiro/2008.

Gráfico Semanal

O último candle deste tempo gráfico (figura ao lado) formou um doji no suporte de 63.705 pontos, proporcionado pela mínima do grande candle de alta que rompeu o antigo topo histórico. O que poderia esboçar uma reação maior do IBOV nas próximas semanas? Um fechamento desta semana acima da máxima (66.307) da semana anterior e preferencialmente acima da média móvel exponencial de 13 períodos (MME13).

A seguir as resistências onde poderá ocorrer uma pressão vendedora.

  • 66.307 – máxima da semana anterior;
  • 66.535 – MME13;
  • 69.028 – máxima da semana do dia 16 a 20 de junho.


Gráfico Diário

No momento neste tempo gráfico o IBOV está respeitando o suporte em 63.825 pontos, proporcionado pela mínima do candle do dia 30. Os últimos dois pregões foram de alta, mas sem grande importância por causa do baixo e decrescente volume financeiro.

E o que demonstraria uma maior presença dos compradores (touros) e um possível sinal de uma correção maior do grande movimento de baixa do índice? Um fechamento acima da máxima do dia 26 (65.804) e também da MME13. O ideal seria fechar acima dos 67.000 pontos, pois de 65.084 até os 67.000 temos uma importante zona de resistência, local onde poderá ocorrer a ação dos ursos (vendedores).

Participação dos Investidores – 26/06

A seguir a participação dos investidores na Bovespa, referente ao mês de junho até o dia 26.


Os investidores estrangeiros seguem vendendo mais do que comprando. Resultado, o saldo deste grupo de investidores está negativo R$ 7,57 bilhões dentro do mês de junho. Provavelmente veremos um novo recorde na Bovespa, a maior saída de capital estrangeiro em um único mês. Vamos aguardar os dois últimos dados (27 e 30/06).

O cenário atual demonstra uma dificuldade maior para operações de médio prazo e boas oportunidades de curtíssimo prazo, através compras muito próximas a suportes importantes.

Até breve! Tenha uma ótima semana.

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.