Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

09.01.2008 | 21:28

Reação dos touros na última hora

Publicado na(s) categoria(s) Ibovespa, Vale, por Dalton Vieira

Nesta quarta-feira (09) o Ibovespa passou aproximadamente 95% do pregão operando no vermelho. Na última hora do pregão, mais especificamente a partir das 17:15h, os touros (compradores) entraram em ação fazendo com que o índice saísse de uma queda de 0,88% para uma alta de 0,96%. A alta nos últimos 40 minutos do pregão foi de aproximadamente 1,77% a partir do ponto em que estava.

E o que isso representa? Esta força compradora no final do pregão representou um candle de alta fechando na máxima do dia em 62.673 pontos, acima de uma das resistências destacadas na análise de ontem (08). Este fato somado ao volume financeiro do dia e a coerência com a LAD e o Clímax aumenta a probabilidade de alta no próximo pregão, principalmente na abertura. Próximas resistências:

  • Média móvel de 65 dias;
  • Máxima do dia 04/01; e
  • Máxima do dia 27/12.

Outro ponto a favor da alta do Ibovespa foi que as bolsas de valores dos EUA também subiram, com os 03 principais índices fechando em alta (Dow Jones +1,16%, Nasdaq +1,39% e Standard & Poor’s 500 +1,36%).

VALE5 – Os touros apareceram

Quando dava a impressão que ocorreria a confirmação de um sinal de baixa na VALE5 os touros entraram em cena e fizeram com que esta ação fechasse o dia em ligeira alta de 0,21%. Parece pouco né? Mas veja que no dia a VALE5 chegou a cair 2% até $47,43, logo a alta proporcionada pelos touros foi superior a 2%. O volume de negociações do dia também foi bom, o que aumenta a probabilidade de alta desta ação para o próximo pregão.

Até breve!

9 Comentários

Assine os feeds dos comentários deste post

  1. gariba disse:

    caro amigo dalton.gosto muito do seu blog.so nao gosto muito qd vc fica ou explicando o inexplicavel ou fazendo analises de empresas como vale.reparou o que eescreveu essa semana?disse que a vale estav com sinal de baixa.ai depois sinal de alta.nao acha que desmoraliza a analise tecnica,ou a analise tecnica ja nasceu assIM?grande abraço
    ricardo carvalho

  2. Enguer Jr disse:

    Dalton,

    Percebo pelas suas análises que você gosta de utilizar as MM de 13 e 65. Eu venho utilizando as MM de 10, 21 e 55. Eu sei que isso é muito pessoal, mas fiquei curioso para saber o motivo da escolha por esses valores, poderia revelar?

    Abraço

  3. <b>Dalton Vieira</b> disse:

    Bom dia Gariba,

    Muito obrigado por gostar e acompanhar o blog.

    Não entendi muito bem a expressão “explicando o inexplicável”. Caso queria enviar mais detalhes para o e-mail do blog fique à vontade. A críticas construtivas são bem-vindas.

    A análise da VALE5 foi um pedido de um leitor/investidor por e-mail, apenas decidi atender o pedido do mesmo.

    Na análise não mencionei que a VALE5 estava com sinal de baixa, apenas que havia um doji e que um fechamento abaixo da mínima do mesmo confirmava um sinal de baixa. Portanto não havia confirmação ainda.

    Outro detalhe destacado na análise é que esta ação encontra-se em congestão e que dentro desta faixa de negociação os fechamentos e mínimas dos movimento são cada vez mais baixos.

    A força compradora do último pregão não representa um sinal de alta dentro desta congestão. Um fechamento acima deste último candle e da máxima do doji pode sim representar um sinal de alta, mas dentro de uma congestão. O cenário não mudou.

    Desta forma, discordo que a análise realizada “desmoralize” a análise técnica. O que faço é justamente a leitura do que está acontecendo no momento dentro de um cenário de alta, baixa ou congestão, sem dizer que vai cair ou subir, ou ainda que vai chegar em tal preço. Enfim, é um trabalho em cima das probabilidades.

    Ficou claro? Obrigado pelo seu comentário. Espero sempre vê-lo por aqui.

    Sucesso nos investimentos.

    Grande abraço.
    Dalton Vieira

  4. <b>Dalton Vieira</b> disse:

    Olá Enguer,

    A escolha destas médias móveis foi baseada na leitura de livros e após avaliações das mesmas no histórico de cotações do mercado de ações. Para mim é mais uma boa variável na leitura dos gráficos.

    É como você disse a quantidade de períodos da média móvel é bastante pessoal. Depende muito da estratégia operacional de cada investidor.

    Obrigado pela constante participação.

    Grande abraço.
    Dalton Vieira

  5. yamahelio disse:

    Olá Dalton. Já faz algum tempo que acompanho seu blog, mas as ferramentas LAD e Clímax são novidade para mim. Poderia indicar o post onde são explicadas estas ferramentas? Obrigado.

  6. <b>Dalton Vieira</b> disse:

    Olá Yamahelio,

    Vou preparar um artigo sobre estes indicadores para publicar em breve aqui no blog, provavelmente até o próximo domingo.

    Obrigado por acompanhar o blog.

    Grande abraço.
    Dalton Vieira

  7. Anonymous disse:

    Dalton,

    Após o treinamento, acompanho diariamente seu blog. Está servindo como uma ótima atualização e aperfeiçoamento.
    Surgiu uma dúvida: você costuma usar nos seus gráficos algum tipo de referência histórica, talvez um suporte, que eu não sei o que é. No gráf. do IBOV está com o valor 58.292; no do VALE5, 41.78.
    É algo de importante?

    Abraço!
    Daniel Luchine

  8. <b>Dalton Vieira</b> disse:

    Grande Daniel,

    Que bom te ver por aqui. Fico satisfeito em saber que o blog está funcionando para você como uma espécie de continuidade do treinamento.

    Sobre os valores os valores mencionados no IBOV é a máxima do dia 19/07/2007 (topo) que funciona como suporte. O mesmo para a VALE5 que é a máxima do dia 13/07/2007 (topo).

    Obrigado pelo comentário.

    Grande abraço.
    Dalton Vieira

  9. yamahelio disse:

    Olá Dalton. Se você puder seria ótimo. Obrigado.

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.