Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

23.03.2016 | 18:46

Regra dos 2% – Quantas ações comprar em uma operação

Publicado na(s) categoria(s) Análise Técnica, Aprendizado, por Dalton Vieira

Olá amigos investidores, sejam muito bem-vindos a nossa sala de aprendizado. Explicarei neste vídeo sobre a regra dos 2% no mercado de renda variável.

Risco da operação e risco do capital

Vimos em outro vídeo de aprendizado que para limitar o prejuízo de uma operação malsucedida é necessário usar o stop. Além disso, vimos onde posicionar o stop usando a análise técnica. Com isso é possível saber qual é o risco da operação.

Agora, quanto arriscar do seu capital em cada operação? É preciso antes definir o risco do capital e o risco da operação. Qual a diferença? O risco da operação é o quanto você pode perder do capital destinado a uma determinada operação. Já o risco do capital é o quanto você pode perder do capital total após uma operação malsucedida.

Por exemplo, imagine que você possua R$50.000,00 e resolve usar R$20.000,00 para comprar uma ação, cujo risco da operação é de 5%. Em caso de prejuízo você perderá R$1.000,00 (5% de R$20 mil). O que esta perda de R$1.000,00 representa sobre seu capital total? Ótimo, o risco do capital é de 2%, enquanto o risco da operação foi de 5%.

O risco do capital é um percentual fixo definido para todas as operações. É recomendável que a perda máxima por operação não seja superior a 2% do seu capital total. O objetivo da regra dos 2% é proteger seu patrimônio de grandes perdas, ou seja, fazer com que sua conta sobreviva aos prejuízos inevitáveis do mercado de renda variável.

O risco da operação é definido de acordo com o posicionamento do stop de cada operação. Este risco é calculado através da diferença entre os preços de compra e stop. Quanto maior for o risco da operação, menor será a parcela do seu patrimônio a ser utilizada.

Conhecendo os riscos do capital e da operação, como saber por exemplo quantas ações comprar de um determinado ativo? Simples, basta dividir o risco do capital pelo risco da operação, conforme mostra a fórmula.

Exemplo prático baseado na regra dos 2%

Para ficar mais claro vamos a um exemplo prático baseado na regra dos 2%. Suponhamos que você possui R$50.000,00 para operar no mercado, logo a sua perda máxima por operação será de R$1.000,00 (2% de R$50.000,00).

Você então decide comprar a VALE5 que está sendo negociada por R$30,00 , posicionando o stop da operação em R$28,50. Portanto, o risco da operação será de R$1,50 por ação (30,00 – 28,50).

Sendo R$1.000,00 o risco do capital e R$1,50 o risco da operação, quantas ações você pode comprar? Excelente, aproximadamente 667 ações (1.000,00 / 1,50). No mercado à vista o lote padrão da VALE5 é de 100 ações, logo será necessário arredondar o resultado da divisão para que se obtenha um número múltiplo de 100.

Neste caso, recomendo sempre arredondar para baixo, ou seja, 600 ações. Por quê? Porque ao arredondar para cima, a perda máxima sobre o capital total será superior a 2%. Ao considerarmos os custos operacionais o risco do capital será ainda maior. Mais um motivo para arredondar para baixo.

Considerações importantes baseadas na regra dos 2%

1. Ao final de cada mês atualize seu capital total. O cálculo é simples, basta pegar o capital disponível para novas operações e somar com o das posições em aberto. Considere o preço de fechamento do último pregão do mês para saber qual o capital que está em cada operação em aberto. O objetivo desta atualização é saber qual será a perda máxima aceitável por operação para o próximo mês.

2. Boa parte dos investidores iniciantes consideram 2% muito pouco. No entanto, os investidores profissionais optam por não perder mais do que 0,5% ou 1% do seu capital em uma única operação. Desta forma, é possível dividir o capital em mais operações.

3. Os prejuízos tendem a ser iguais. Isto é, independente se você comprou a MILK11 com risco da operação igual a 20% e a PETR4 com risco de 4%, o prejuízo será o mesmo caso o stop seja acionado. O que vai mudar é o quanto do capital será possível arriscar em cada uma delas.

Agora que você sabe o quanto arriscar em cada operação, qual o limite máximo de perda somando todas as operações em aberto? Abordarei este assunto em outro vídeo de aprendizado.

Etapa concluída

Parabéns! Você concluiu mais uma etapa.

Espero sempre contar com a sua presença na nossa sala de aprendizado. Muito obrigado!

Recomendo!

Assista também ao vídeo Regra dos 6%. Deseja continuar o aprendizado? Simples, acesse o menu Aprendizado do site e desfrute dos diversos vídeos e artigos disponíveis.

7 Comentários

Assine os feeds dos comentários deste post

  1. Ivan disse:

    Olá Dalton, tudo bom?? Depois por gentileza uma análise do Ibov mensal, pra mim tem uma LTA desde 2003 que está sendo testada como resistência, já foi cortada para baixo 2 vezes, minha expectativa é que em algum momento termos uma forte correção ou então, menos provável ao meu ver, rompimento do TH. Outro detalhe é o IFR9 apontando cada vez mais fraqueza nas pernas altistas, não é hora para investir na bolsa, só especular mesmo, curto prazo;
    Ivan

  2. Dalton Vieira disse:

    Olá Ivan,

    Correto, conforme venho destacando nas vídeo análises a tendência de alta do IBOV está mais fraca. Tanto que não estou encontrando mais oportunidades de compra nem de curto prazo.

    Acredito em uma correção mais forte, caso haja a perda dos 65 mil pontos.

    Grande abraço.

  3. Ricardo Sousa disse:

    Bom dia Dalton.
    Gostaria de saber qual software que vc utiliza para análise, se ele é RT, utilizo o Profitchart, mas gostaria de um que o custo fosse mais em conta.
    Obrigado mais uma vez.

    Ricardo Sousa

  4. Ricardo Sousa disse:

    Bom dia Dalton.
    Gostaria de parabenizá-lo pelo excelente site, simples, fácil de navegar, com todas as informações que o investidor precisa para se informar.

    Parabéns.

    Ricardo Sousa

  5. Dalton Vieira disse:

    Olá Ricardo,

    1. Realmente o Profitchart possui um valor mensal salgado. Para a maioria torna-se ruim, pois se colocar na ponta do lápis é um custo “operacional” que afetará o resultado mensal das operações.

    Eu uso o WSC RT, mas é uma versão beta que ainda não está sendo comercializada. Os clientes Easynvest podem solicitar uma versão gratuita com delay de 15 min para testes. A versão comercializada do WSC possui as cotações atualizadas ao final de cada pregão.

    2. Obrigado pelas congratulações ao site. Espero continuar agregando valor às análises dos investidores, seja através dos vídeos de aprendizado ou mesmo com as vídeo análises e chats.

    Grande abraço e uma ótima semana!

  6. elias disse:

    Olá Dalton,

    Parabéns pelos videos. São praticos, rapidos e muito instrutivos.
    Fiquei com uma dúvida em uma de suas assertivas.
    Você diz que quanto > o risco da operação, o risco da operação, “>” será a parcela do patrimonio a ser utilizada?

    Abs

  7. Dalton Vieira disse:

    Oi Elias, boa tarde.

    Quanto maior o risco (tamanho do stop) menor o capital a ser utilizado na operação.

    Grande abraço.

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.