Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog

06.04.2009 | 19:00

Venda coberta como laboratório

Publicado na(s) categoria(s) Aprendizado, Elvis Pfützenreuter, Opção, por Aluno

Olá amigos e investidores,

A seguir mais um artigo do Elvis Pfützenreuter sobre investimento em opções.

Mencionamos brevemente no post anterior sobre opções, que venda coberta de opções tem diversas vantagens, entre elas a de servir como trampolim e laboratório para operações mais complexas. Usando uma venda coberta prévia, podemos operar de forma mais arrojada, mas ainda com segurança, e ainda ganhando algum dinheiro.

A forma básica de venda coberta é: comprar ou possuir ações, e lançar (vender a descoberto) o mesmo número de opções. O lançador coberto típico vai estar sempre “vendido” nas opções do próximo vencimento. Quando elas vencem e expiram, ele vende opções do vencimento seguinte. Exemplo de operação:

18/03/2009
+1000 VALE5
-1000 VALED28

No dia 18/3 esta operação fazia sentido porque VALE5 estava em torno de R$ 27. Se fôssemos montá-la hoje, com VALE5 acima de R$ 28, talvez fosse melhor vender VALED30, ou VALEE30. Mas isto não vem ao caso agora.

A primeira variação que o operador pode tentar em cima desta base, é recomprar oportunisticamente as opções numa queda de preço. Isto serve para embolsar definitivamente o lucro, e abre oportunidade para um novo lançamento de opções se os preços se recuperarem. No caso da operação-exemplo acima, os dias 31/3 e 1/4 foram oportunidades para fazer isso.

Desta forma, o operador que domina a análise técnica de ações pode utilizar este conhecimento para alavancar seu ganho na venda coberta. “Ok”, perguntará alguém, “então porque não comprar opções a seco com base em análise técnica?”

Porque, para ganhar dinheiro comprando opções, não basta estar certo ao longo do tempo. É preciso estar certo o tempo todo. Se a análise técnica ou fundamentalista aponta (corretamente) que determinada ação vai subir, mas justamente no dia do vencimento da opção ela cair, quem comprou opções perde tudo. Não há margem alguma para erro.

Já o vendedor coberto tem margem de manobra. Se ele recomprar as opções e depois ficar claro que isto foi um erro, ele não perdeu, apenas deixou de ganhar; e pode ficar esperando calmamente a próxima oportunidade. Já quem comprou opções a seco não vai poder nem ir ao banheiro, com medo que um movimento brusco do mercado leve todo o seu dinheiro embora.

Pode-se então tentar operações mais elaboradas. Por exemplo, “rolar” a venda coberta para um vencimento mais distante:

+1000 VALED28
-1000 VALEE30

Considerando a rolagem isoladamente, temos um “time spread“, uma operação razoavelmente sofisticada que aposta na diminuição da volatilidade futura. Naturalmente, como já havia uma venda coberta antes, o saldo final é apenas outra venda coberta.

Podemos (e devemos) conceber e calcular as operações de rolagem como se fossem spreads de pleno direito, cujo risco é muito alto quando feitos sem a “rede de segurança” da venda coberta. Se o operador for bem-sucedido nestas rolagens, pode muito bem passar a fazer apenas spreads.

Se o preço da ação cair, pode-se fazer rolagem para baixo dentro do mesmo mês, o que equivale a um “credit call spread“:

+1000 VALED28
-1000 VALED26

Pode-se também rolar para cima quando o preço sobe como forma de diminuir o prejuízo, o que equivale a um “debit call spread“:

+1000 VALED28
-1000 VALED30

Meu nome é Elvis Pfützenreuter, sou pesquisador na área de ciência da computação. Também tenho grande interesse em finanças, tanto para fins de investimento pessoal como por curiosidade científica. Recentemente, escrevi um livro (ao lado) a respeito de opções, que talvez interesse a investidores que desejem conhecer melhor estes ativos.

4 Comentários

Assine os feeds dos comentários deste post

  1. Dalton Vieira disse:

    Olá Elvis,

    Primeiramente muito obrigado por mais um artigo sobre opções, o que favorece o aprendizado dos leitores que frequentam o blog diariamente.

    Sobre o lançamento coberto e compra a seco, considero duas estratégias interessantes. O lançamento coberto tem seus bons dias em mercado em tendência de baixa. Já em uma tendência de alta de curto prazo – como a de agora – este tipo de operação precisa ser muito bem planejado para evitar ser exercido.

    Na tendência atual vejo a compra a seco como uma boa estratégia, principalmente quando executada em importantes suportes. O que acho interessante é que você já entra na operação sabendo o risco máximo da operação, ou seja, o valor que foi investido. Portanto, para esta situação acredito que um vencimento maior é melhor por ter um valor maior para o prêmio e a possibilidade de zerar a posição após uma esticada de alta como estamos assistindo.

    Enfim, esta é minha visão para o atual momento da bolsa, onde acredito que em breve veremos uma correção mais acentuada.

    Continue nos brindando com seus artigos. Grato!

    Grande abraço.
    Dalton Vieira.

  2. Helio Nascimento/Taubaté-SP disse:

    Ola Dalton e Elvis,

    Parabens novamente pelo tema. Na minha opiniao a melhor maneira de rentabilizar e gerar renda real sobre uma carteira de ativos e atraves da venda de opcoes de compra sobre esses ativos. Para quem possui acoes em carteiras de longo prazo está realmente perdendo muito dinheiro em vender opcoes de compra todos os mesmes e rentabilizar a carteira. Importante tambem, dentro desse tema, comentar que essa estrategia tambem serve para diminuir o preco medio da carteira, pois com a receita gerada pela venda das opcoes pode comprar mais acoes. Interessante tambem e definir tambem o momento certo de se lancar, que na minha opiniao é quando o ativo faz um topo ou fica muito esticado. Lanca-se nesse ponto e recompra-se ou zera o contrato no suporte abaixo. Nesse ponto tambem com a zeracao da posicao pode-se comprar mais acoes e ficar direcional por mais alguns dias esperando um novo topo. Infelizmente nosso mercado somente tem opcoes liquidas em PETR4 e VALE5. Nesse caso, sempre que monto uma posicao comprada em Vale ou Petro, geralmente acabo tambem fazendo um lacamento correspondente. Para o lancador o tempo esta sempre a favor…. o que acaba em algum momento gerando uma excelente oportunidade de zerar a posicao vendida na opcao.

    Abs e bons trades a todos!

  3. Anonymous disse:

    Olá Hélio

    Parabéns pelo comentário.

    Abraços

    Gustavo Marcondes – Taubaté/SP

  4. Dalton Vieira disse:

    Grande Helio,

    Concordo contigo, usar o lucro obtido com o lançamento de opções para comprar mais ações e reduzir o preço médio para o longo prazo.

    Obrigado pelo seu ótimo comentário!

    Grande abraço.
    Dalton Vieira

Deixe seu comentário

  • Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.
  • Para pedidos de parceria utilize o formulário de contato.
  • Comentários que deixam a impressão de divulgação de outro site através do fornecimento de links serão excluídos.